quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

DESAFIO LIGHT: Pastinhas feitas a base de Tofu, deliciosamente veganas!

Pastinhas de Tofu com Ervas Frescas e Alho e outra
com Damasco e Nozes
 Como vocês já devem ser notado, não sou vegana ou vegetariana, mas sou adepta de uma alimentação saudável! Outro dia li em uma revista que existe uma nova denominação para pessoas como eu, que não são radicais em relação a comer carne, mas que curtem muito frutas, verduras, legumes e alimentos integrais: flexitarianos! Me lembrou um pouco o carro "flex", mas acho que o conceito é parecido!! kkkkkk (para quem não sabe a diferença, o vegetariano não come animais que foram mortos, mas come seus subprodutos como ovos, leite, mel, o vegano não come NADA de origem animal e o flexitariano prefere comer vegetais mas come carne de vez em quando, sem radicalismos).

Quando entrei para uma onda mais "fitness" na alimentação e na atividade física (em Novembro de 2016 decidi emagrecer 4 kg, ganhos por conta de aventuras gastronômicas em viagens de férias e a trabalho), comecei a perceber que, além da perda de peso e do ganho de massa muscular, também comecei a me sentir melhor, sob todos os aspectos. Minhas enxaquecas frequentes praticamente sumiram, a TPM foi bastante reduzida, a disposição para levantar de manhã aumentou, a pele ficou mais firme, o inchaço do abdômen sumiu, a celulite diminuiu bastante...

Basicamente, as principais mudanças foram: (1) comecei a tomar suco detox em jejum (a base de couve, laranja, gengibre, banana e chia - vejam o post sobre isso); (2) tirei o glúten do café da manhã (substituindo por tapioca de queijo branco ou por omelete ou por ovos cozidos ou por crepioca - uma mistura de ovos com tapioca); (3) comecei a fazer regularmente 6 refeições diárias, contando as calorias de todas elas (para ajudar, usei um app no celular chamado Dieta e Saúde), até 1500 calorias; (4) reduzi também os carboidratos em geral, comendo mais proteínas magras (peixe, ovos, frango e carne vermelha magra) e priorizando grãos integrais (arroz integral, aveia, quinoa); (5) cortei os doces (com açúcar ou com adoçante) e substitui por frutas in natura ou shakes de frutas... (6) comecei a fazer exercícios físicos todos os dias, por no mínimo uma hora (caminhada, transport, localizada, pilates), também com a ajuda de dois apps: Sports Tracker (para monitorar as caminhadas) e o Workout Trainer, com muitas sugestões de sequencias de exercícios para fazer em casa.

O mais importante é descobrir o que faz você se sentir bem! Afinal, estar no peso não é só uma questão de estética, é uma questão de saúde física e mental!! E, mesmo em paz com a balança (estou cravada nos 54kg - tenho 1,63 de altura), continuo no mesmo ritmo de alimentação e atividade física!

Momentos da Empreitada "Fitness"!

Um dos ingredientes muito utilizados na alimentação funcional (por ter muitas proteínas) e nos cardápios veganos (por ser de origem vegetal) é o tofu, ou queijo de soja. Muito presente na culinária japonesa, servido "in natura" com molho de soja (shoyu) e cebolinha picada, ainda é pouco conhecido e utilizado pelas pessoas em geral. Eu mesma comprei só uma vez anteriormente, para uma receita tailandesa, mas lendo sobre nutrição, percebi que este era um ingrediente que deveria fazer parte do meu cardápio e das minhas receitas!

Testei o tofu como alternativa a maionese, creme de leite e ricota, no preparo de pastinhas para aperitivo. Fiz duas versões: uma com ervas frescas (colhidas da minha hortinha) e alho e outra com damasco e nozes. Servi com torradinhas de arroz integral, da Camil. Servidos como aperitivo em um jantar com 3 amigas, foi um sucesso! Todas falaram: nossa, nem parece que é queijo de soja!! rs

Pastinha de Tofu com Ervas Frescas e Alho

(1 pote de 200 gr)


  • 200 gr de tofu com um pouco do líquido
  • ervas frescas lavadas e picadas (manjericão, alecrim, tomilho, salsinha, cebolinha, sálvia...)
  • 1 dente de alho picado
  • 1 colher de sopa de azeite extra virgem
  • sal e pimenta do reino a gosto

Bata todos os ingredientes no processador e sirva com torradinhas de arroz integral.

Pastinha de Tofu com Damasco e Nozes

(1 pote de 250 gr)


  • 200 gr de tofu com um pouco do próprio líquido
  • 6 damascos secos picados
  • 1 porção de nozes picadas grosseiramente
  • 1 colher de sopa de azeite extra virgem
  • sal e pimenta do reino a gosto

Bata todos os ingredientes (menos as nozes) no processador. Junte as nozes no final e bata só para misturar (e não destruir as nozes). Sirva com torradinhas de arroz integral.



E Bon Appetit!

As amigas que testaram as pastinhas de tofu, no Jantar "Fit"!


DESAFIO LIGHT: Hamburguer de Batata Doce e Quinoa, com Cebola Roxa Caramelizada, Maionese de Abacate e Saladinha de Folhas com Molho de Chia!

Hamburguer de Batata Doce e Quinoa,
com Cebola Roxa Caramelizada,
Maionese de Abacate e
Saladinha de Folhas com Molho de Chia!
Como vocês já devem ter percebido, a onda "fitness" chegou aos Desafios!! E tem desafio gastronômico mais legal que fazer pratos super saborosos e, ainda por cima, saudáveis?? Este prato é um pouco trabalhoso, tem vários itens na sua composição, mas o resultado é uma refeição completa, balanceada, com pouca gordura e com vários alimentos considerados "funcionais": batata doce, quinoa, couve, chia, abacate... Foi servido em um jantar todo "fit" para 3 amigas muito queridas (e que não são totalmente adeptas da alimentação saudável... rs).

A receita do hamburguer foi inspirada no blog Figos e Funghis. A receita da maionese de abacate veio de uma nutricionista que sigo no Instagram e no Facebook, e que dá dicas muito legais sobre alimentação saudável: Jessica Ribeiro, de Salvador. O restante foi invencionice minha mesmo!! Mas as vítimas, digo, as convidadas a provar o prato, aprovaram!! Só não quiseram fazer a série de 300 abdominais que eu propus após o jantar! kkkkk

Além do Hamburguer, servi também umas Pastinhas de Tofu como aperitivo, uma Torta Light de Abobrinhas, Ricota e Aveia e, de sobremesa, Panquecas Funcionais de Bananas com Calda de Amoras e Cranberries! Aguardem estas outras receitinhas logo, logo aqui no blog!

Hamburguer de Batata Doce e Quinoa, com Cebola Roxa Caramelizada, Maionese de Abacate e Saladinha de Folhas com Molho de Chia e Balsâmico

(6 a 8 porções)

Para o Hamburguer de Batata Doce e Quinoa

  • 2 batatas doces roxas, descascadas e cortadas em pedaços médios
  • 2/3 xícara de quinoa cozida em água e sal
  • salsinha picada a gosto
  • curry a gosto
  • 2 ovos batidos
  • sal e pimenta do reino moídos na hora a gosto
  • azeite para untar

Cozinhe bem as batatas doces. Escorra. Aqueça o forno a 220 graus. Unte uma forma grande de teflon com azeite. Amasse bem as batatas doces e junte os demais ingredientes até formar uma massa bem homogênea. Forme 8 hamburgueres e coloque na forma. Leve para assar por 20 minutos. Vire os hamburgueres e deixe assar do outro lado. Tire do forno e reserve em local aquecido.




Para a Cebola Roxa Caramelizada

  • 3 cebolas roxas cortadas em rodelas finas
  • 1 filete de azeite
  • 1 colher de chá de açúcar mascavo
  • sal a gosto

Em uma frigideira grande, frite as cebolas com azeite até ficarem bem douradas. Acrescente o sal e o açúcar e deixe caramelizar. Reserve.

Para a Maionese de Abacate

  • 1/2 abacate maduro
  • 1/2 xícara de salsinha picada
  • 1 dente de alho picado (opcional)
  • 1 colher de sopa de mostarda amarela (ou sementes de mostarda)
  • sal e pimenta a gosto
  • 1/2 xícara de azeite extra virgem

Bata todos os ingredientes no liquidificador, menos o azeite. Depois de bem batido, ligue o liquidificador na potência baixa e vá juntando o azeite aos poucos, até engrossar. Reserve.

Para a Salada de Folhas com Molho de Chia

  • folhas de alface crespa
  • folhas de alface roxa
  • folhas de couve (sem o talo)
  • 2 colheres de sopa de chia hidratada (deixar em um pouco de água por umas 2 horas)
  • 4 colheres de sopa de azeite extra virgem
  • 2 colheres de sopa de aceto balsâmico
  • 2 colheres de sopa de água
  • sal e pimenta do reino a gosto

Lave bem as folhas, pique bem e reserve. Misture a chia, o azeite, o balsâmico, a água, o sal e a pimenta, até virar uma emulsão. Reserve.

Monte o prato: coloque as folhas verdes picadas na metade do prato; na outra metade, coloque o hamburguer com uma porção de cebola roxa por cima; ao lado, um pouco da maionese de abacate. Finalize as folhas verdes com o molho de chia e balsâmico. Sirva imediatamente!

O prato pronto!!

Obrigada, amigas queridas, por compartilharem mais este momento "Desafios Light"!!

E Bon Appetit!

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

DESAFIO LIGHT: Moqueca de... Palmito Pupunha!! Veggie!!

Moqueca de Palmito Pupunha
Mais uma receita light, sem glúten, sem lactose, 100% vegana e... DELICIOSA! Parece milagre mas não é! Afinal, aqui nos Desafios, estamos mostrando que pratos saudáveis podem ser muito saborosos! Sirva como prato principal de um almoço de domingo, acompanhado de arroz branco e uma farofinha crocante! O ideal é fazer o prato naquelas panelas de barro, que vão direto à mesa e conservam o calor do prato por muito mais tempo.

Moqueca de Palmito Pupunha

(8 porções)

Para o tempero

  • 1/2 cebola picada
  • 1/2 pimentão vermelho picado
  • 1/2 pimentão verde picado
  • 1/2 pimentão amarelo picado
  • 1 colher de sopa de óleo de coco
  • coentro picado
  • 1 pimenta dedo de moça sem sementes picada
  • 3 dentes de alho picados
  • 1 pedaço de gengibre picado
  • sal
  • óleo de coco (1 colher de sopa)
Para a moqueca
  • 500 gr de palmito pupunha fresco em rodelas
  • 1/2 pimentão vermelho em rodelas
  • 1/2 pimentão verde em rodelas
  • 1/2 pimentão amarelo em rodelas
  • 1/2 cebola em rodelas
  • 2 tomates em rodelas
  • 200 ml de leite de coco
  • 300 ml de água
  • 1 colher de sopa de maisena
  • 1 colher de sopa de azeite de dendê
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • coentro picado para finalizar
Prepare o tempero, macerando todos os ingredientes em um pilão. Reserve. Aqueça uma panela grande, de fundo grosso (de preferência de barro). Aqueça o óleo de coco e junte o tempero. Deixe refogar bem.



Monte a moqueca: coloque o palmito, as rodelas de pimentão, a cebola, os tomates. Dissolva a maisena no leite de coco. Junte o leite de coco com maisena e a água. Acerte o sal e a pimenta do reino e por último o dendê. Tampe e deixe cozinhar por 20 a 30 minutos, até os legumes estarem cozidos, mas não moles demais. Finalize com o coentro picado e sirva com arroz branco.




Bon Appetit!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

DESAFIO LIGHT: Desintoxicar após uma viagem Enogastronômica!

Uma seleção de deliciosas bebidas "detox"!
Todo ano procuramos fazer uma viagem para comemorar nosso aniversário de casamento. Este ano, o destino escolhido foi o Uruguay, com alguns dias na capital Montevideo, e o restante em Punta Del Este.

A viagem, com uma pegada "enogastronômica", foi incrível! Conhecemos vinícolas maravilhosas, que ofereciam almoços deslumbrantes, com seus vinhos harmonizando com os pratos elaborados por chefs de primeira linha! Destaque para a Juanico, uma das maiores do Uruguay, mas com um atendimento de vinícola pequena. E as "bodegas boutiques" Pizzorno e Punta de la Ballena, pequenas e muito acolhedoras, com vinhos de alta qualidade, apresentados por seus próprios donos, uma experiência única!

Durante a viagem, preferimos sempre provar pratos e bebidas típicas: Além dos vinhos uruguaios (destaque para o Tannat, uva "ícone" do país) e das cervejas artesanais, provamos as famosas parrillas (carnes, linguiças e miúdos preparados na grelha - deixamos de lado os "miúdos"... arhg...), empanadas generosamente recheadas, as milanesas de ternero, frutos do mar muito bem elaborados em Punta del Este, tábuas de jamón (presunto cru) no Mercado del Puerto, experimentamos o calórico "Chivito", um prato popular composto de vários tipos de legumes, filet, presunto, queijo, ovo frito e uma porção de batata frita por cima de tudo... E o famoso Waffle do Hotel L´oberge, imperdível mesmo! Uma verdadeira loucura!!

Parrilla Uruguaia

O indecente "Chivito"

Milanesas em Punta, com vinho da Vinícola Juanico

O famoso Waffle com Doce de Leite do Hotel L´Oberge em Punta del Este

Almoço a beira mar no Restaurante Calma Chicha em Punta

 Voltamos para São Paulo com muitas garrafas de vinho na bagagem! E, de quebra, vários quilinhos a mais também (e não era somente na bagagem...rs).

E para ficar somente com lembranças (e não com os indesejáveis pneuzinhos), Ale e eu começamos um processo de desintoxicação alimentar!! Um regime a base de frutas, verduras, legumes, proteínas magras, cereais integrais, tubérculos, alimentos termogênicos (como gengibre, pimenta), pouca lactose e pouco glúten! Em duas semanas, já perdemos 3 quilos cada! Sucesso!!

Provei várias receitas de sucos desintoxicantes e smoothies (ou vitaminas) que substituem lanches calóricos e são deliciosos!! Seguem as receitas, todas testadas e aprovadas! E aguardem mais receitas light aqui nos Desafios!

Suco Detox de Couve


  • 1 folha de couve
  • suco de 2 laranjas (não coado)
  • meia maçã com casca picada
  • 1 pedaço de gengibre picado

Bater tudo no liquidificador. Tomar imediatamente, de preferência em jejum.


Smoothie Energético (pré treino)


  • 1 banana prata
  • suco de 1 laranja
  • 1 colher de sopa de chia
  • meio copo de água gelada ou 3 pedras de gelo

Bater tudo no liquidificador. Tomar imediatamente.

Smoothie de Frutas Vermelhas


  • 8 morangos
  • 8 amoras
  • 1 pote de iogurte desnatado
  • alguns goji berries (opcional)
  • 1 colher de sopa de quinoa em flocos (ou aveia em flocos finos)

Bater tudo no liquidificador. Tomar imediatamente.


Smoothie de Manga


  • 1 pedaço de manga picada
  • 1 pedaço de gengibre
  • 1 colher de chia (hidratar por 5 minutos em água antes de bater)
  • suco de 2 laranjas lima
Bater tudo no liquidificador. Tomar imediatamente.



Água Aromática


  • 1 litro de água
  • rodelas de gengibre
  • 1 pedaço de canela em pau
  • casca de laranja

Preparar a noite, deixar na geladeira e tomar no dia seguinte.


Água Cítrica


  • 1 litro de água
  • um pedaço de casca de limão
  • um pedaço de casca de laranja
  • um pedaço de casca de mexerica

Preparar a noite, deixar na geladeira e tomar no dia seguinte.

Água de Ervas


  • 1 litro de água
  • 1 galho de manjericão
  • 1 galho de hortelã
  • 1 galho de alecrim

Preparar a noite, deixar na geladeira e tomar no dia seguinte.

Chá Refrescante de Hibisco


  • 1,5 litros de água
  • um punhado de hibisco seco (para chá)
  • adoçante (opcional)

Ferva a água e desligue. Coloque o hibisco, tampe e deixe descansar por 10 a 15 minutos. Coe e leve a geladeira. Tome ao longo do dia.

Bon Appetit!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

DESAFIO LIGHT: Frango Grelhado com Pimenta Síria e Tabule de Quinoa


Filé de Frango com Pimenta Síria e Tabule de Quinoa
Pesquisando sobre ingredientes mais saudáveis e leves (os Desafios entraram em uma onda "light"), me deparei com a Quinoa, um grãozinho pequeno no tamanho, mas enorme em seus benefícios! Além de ajudar na perda de peso (pois possui muitas fibras e gera a sensação de saciedade), também é rica em proteínas e ferro, sendo um excelente substituto para a carne vermelha e perfeito para quem está querendo ganhar massa muscular. Mas não pára por aí: a quinoa é rica em ômega 3 e ajuda na redução do colesterol e do diabetes! Ou seja, o alimento perfeito! Só seria totalmente perfeito se fosse mais barato (custa certa de 30,00 reais o quilo). Saiba mais sobre este ingrediente clicando aqui.

Comprei um pacotinho de quinoa antes mesmo de pensar na receita. Resolvi preparar a quinoa com filé de frango (também uma opção bem light de proteína). Estava montado o próximo Desafio Light!

Mas só grelhar o frango e cozinhar a quinoa me pareceu meio "sem graça"... Como dar um "toque de chef" nestes dois ingredientes, sem aumentar as calorias?? Veio a ideia de preparar um "tabule" com a quinoa: mesma receita do tabule tradicional, só substituindo o trigo por quinoa cozida. E o frango levou um tempero especial, para fazer dupla perfeita com o Tabule de Quinoa: um toque de pimenta síria, o mesmo tempero que usamos nos pratos árabes como esfihas, quibes e kaftas! Simples, diferente e com baixas calorias!

Tabule de Quinoa 

(6 porções)

  • 1 xícara de quinoa em grãos
  • 1 dente de alho picado
  • azeite para fritar
  • 2 xícaras de água fervendo
  • sal a gosto
  • suco de 1 limão
  • 2 tomates sem semente picados
  • 1 cebola picada
  • 1 xícara de salsinha picada
  • hortelã picado a gosto
  • azeite a gosto para temperar
Prepare a quinoa: Em uma panela média, coloque o azeite e o alho para dourar. Acrescente os grãos de quinoa e deixe refogar um minutos. Coloque a água fervendo e tempere com sal a gosto. Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo baixo por 10 a 15 minutos (até a água secar e a quinoa ficar macia).
Leve a quinoa para esfriar bem.

Prepare o tabule: pique a cebola, a salsinha, o hortelã, os tomates. Junte tudo na quinoa (já fria) e tempere com azeite, suco de limão e acerte o sal. 


Frango Grelhado com Pimenta Síria 

(6 porções)

  • 6 filés grandes de frango
  • 2 dentes de alho picados
  • suco de meio limão
  • sal a gosto
  • pimenta síria a gosto
  • filete de azeite
Tempere os filés de frango com alho picado, limão, sal, pimenta síria e o azeite e deixe na geladeira por, no mínimo, 1 hora.
Aqueça bem um grill e doure os filés de ambos os lados.


Sirva com o tabule de quinoa!

E Bon Appetit!!

DESAFIO LIGHT: Rolinhos de Berinjela com Ricota Defumada!


Rolinhos de Berinjela com Ricota Defumada
Se você, como eu, também ama Berinjela, vai adorar esta receita que, além de deliciosa, é bem light!

As fatias de berinjela são assadas com um mínimo de gordura (azeite). O recheio é a base de mussarela light e um queijo incrível, não muito conhecido: a Ricota Defumada! É pouco calórica e super saborosa por conta do toque defumado! Perfeita para substituir o parmesão na hora de gratinar o seu prato mais "light"! E o molho de tomate... Tem que ser caseiro, né? Eu preparo sempre um panelão e congelo em pequenas porções! Vale muito a pena! E você fica livre os conservantes, corantes, acidulantes e outros "antes" que fazem mal à sua saúde! Fora o sódio que normalmente aparece em excesso nos produtos industrializados! Uma boa alternativa, se não tiver molho caseiro, é usar o tomate pelado em lata, cozinhando os tomates (300 gr) por uns 60 minutos, até reduzir (tempere com alho, sal, manjericão e azeite)!

Rolinhos de Berinjela com Ricota Defumada

(4 porções)

  • 2 berinjelas cortadas em fatias médias na vertical (cerca de 12 fatias)
  • um filete de azeite
  • sal para temperar
  • 200 gr de mussarela light em fatias
  • 200 gr de ricota defumada ralada
  • 2 xícaras de molho de tomate caseiro (clique aqui para ver como se faz)
Tempere as fatias de berinjela com o sal e deixe suar por uns 15 minutos. Aqueça o forno a 200 graus. Seque bem as fatias e coloque-as em uma assadeira com um filete de azeite por cima, e leve-as para assar por 20 minutos. Na metade do tempo, vire as fatias.


Em cada fatia de berinjela, coloque uma fatia de mussarela e um punhado de ricota defumada. Enrole cada uma e coloque em um refratário (já com molho de tomate no fundo).



Repita este processo com todas as fatias. Cubra os rolinhos com o molho de tomate e com o que restou da ricota defumada. Leve ao forno novamente por 20 minutos, até borbulhar o molho e a ricota dourar. Sirva com arroz integral ou quinoa cozida (prepare como se prepara o arroz branco).




E Bon Appetit!

terça-feira, 29 de novembro de 2016

DESAFIO: Berinjela a La Parrilla (na churrasqueira)

Berinjela na Grelha (Parrilla)
Quem disse que vegetariano não tem vez em um Churrasco???

Embora eu não seja vegetariana, dou total preferência às carnes de frango e peixe e a legumes e verduras.

Berinjela, então, é um dos meus legumes preferidos... São tantas receitas com ingrediente tão versátil... De um Antepasto de Berinjelas (Berinjela Colorida) feito no forno com pimentões vermelho e amarelo, cebola, azeitonas e passas; ou a pasta árabe Babaganouch, com seu sabor defumado e picante, passando por acompanhamentos como o francês Ratattouille, feito também com abobrinha e pimentão, ou ainda pratos principais como a Berinjela Gratinada e Moussaká, de origem grega...

A versatilidade da berinjela... Uma imagem vale mais que mil palavras!
Depois de viagens ao Chile e Argentina, fiquei bastante interessada na técnica da Parrilla (ou grelha), utilizada para fazer o churrasco... E encontrei algumas receitas bem interessantes em um livro que trouxe em uma das viagens: Cocina Criolla, de Héctor Salgado. Lá encontrei a receita de "Berenjenas a la Parrilla" (Berinjelas na Grelha), além da Salsa Criolla (uma variação da nossa vinagrete) e o Chimichurri, outro molho especial para churrasco também encontrado na culinária argentina, feito a base de orégano.


A receita das berinjelas é muito simples, temperada com muito azeite, orégano, pimenta calabresa e sal... O mais complicado mesmo é fazer a brasa do churrasco... Mas esta parte eu deixo para os homens aqui de casa!  E podem convidar os vegetarianos para o seu churrasco!

Berinjela na Grelha (Parilla)

(8 porções)


  • 4 berinjelas cortadas em rodelas de 3 cm
  • Azeite de oliva a gosto
  • orégano a gosto
  • pimenta calabresa seca a gosto (opcional)
  • sal a gosto

Coloque as rodelas de berinjela em uma forma grande (sem sobrepor), faça pequenos cortes em sua superfície (para absorver melhor os temperos) e regue com bastante azeite. Polvilhe com o orégano e a pimenta calabresa moída (cuidado porque pode ficar muito apimentado... rs). Aguarde alguns minutos para que as berinjelas absorvam os temperos. Leve à grelha em temperatura suave. Estarão prontas quando ficarem bem douradas. Salpique com um pouco de sal e sirva!


Bon Appetit (e bom churrasco também!!)

DESAFIO: Doce Cremoso de Abóbora com Coco, para uma Almoço Mineiro!

Doce Cremoso de Abóbora com Coco
Tivemos, há alguns meses, uma ótima produção de mandioca e de abóbora no nosso sítio... A produção de mandioca virou uma série de receitas ótimas (clique aqui para ver)!

E a abóbora também foi inspiradora, mas acabei congelando a maior parte, em pedaços já descascados (obrigada, Nenê, por esta valiosa ajuda! rs). E chegou a vez da abóbora quando decidi fazer um Almoço de Domingo com inspiração mineira, onde o prato principal seria o delicioso Frango com Quiabo, feito na panela de barro (só não usei o fogão a lenha porque não tenho...).

E a abóbora entraria como a sobremesa: Doce de Abóbora com Coco, acompanhado de queijo minas... Tem coisa mais mineira que isso??

Preparei a receita com um dia de antecedência, para que ficasse mais saboroso na hora de servir! A abóbora era bem fibrosa, e se desfez quando cozida... E o coco ralado fresco garantiu mais sabor e crocância ao doce. Sucesso total!

Doce Cremoso de Abóbora com Coco

  • 1 kg de abóbora em pedaços
  • 500 gr de açúcar
  • 1 xícara de coco fresco ralado
  • canela em pau (2 pedaços grandes)
  • cravo a gosto
  • queijo minas para acompanhar
Em uma panela grande de fundo grosso, coloque a abóbora, o açúcar, a canela e o cravo para cozinhar até a abóbora se desfazer e restar pouca água (deixe um pouco para que o doce fique mais cremoso).


Junte o coco, misture bem e deixe esfriar. Coloque em um pote fechado e leve para a geladeira de um dia para outro.


Sirva com queijo minas! E Bon Appetit!!

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

DESAFIO: Chico Balanceado, uma sobremesa polêmica!

Minha versão do Chico Balanceado, com Maçãs Caramelizadas
Esta temporada de trabalho no Sul do Brasil está me rendendo experiências gastronômicas incríveis!! Além do tradicional Churrasco e seus acompanhamentos maravilhosos (como o Pão de Alho com Ervas e a Maionese de Batatas a Moda Gaúcha), a Polenta com Ragú, a Fortaia (ou Omelete Colonial) e da sobremesa mais típica de todas, o Sagú de Vinho Colonial, chegou a vez de uma sobremesa que me intrigou pelo nome, por sua origem e por sua execução: o Chico Balanceado!

Primeiro, vamos falar da origem do doce... A melhor explicação que encontrei na internet foi essa:
HISTÓRIA DO CHICO BALANCEADO:Em toda pesquisa, o Chico Balanceado desponta como típica iguaria gaúcha.Mas, Santa Catarina e Paraná também disputam o doce. Na outra ponta do País, em Pernambuco, o doce tem o nome de Manezinho Araújo e, portanto, as regiões Sul e Nordeste se conectam por meio de um doce feito de creme de ovos, banana e açúcar. Em Minas Gerais, também é conhecido como Manezinho Araújo.Mas afinal, qual é a origem desta receita? E qual foi o primeiro estado a eleger o doce como sobremesa? Uma pergunta que tentarei com calma buscar resposta para ela nos livros históricos sobre a gastronomia brasileira. Infelizmente esta curiosidade o São Google não foi capaz de matar.Ou, se por acaso nada encontrar a este respeito, chegarei à conclusão mais simples: no Brasil, não temos registros precisos sobre a comida do passado e do presente. Não há codificação e, portanto, a evolução gastronômica se perde entre as antigas casas de fazenda, moendas, casas-grandes, roçados, senzalas, mocambos e por aí vai. Fonte: Blog “Arte no sabor” por Luis Carlos Schmith e http://www.difusorapocos.com.br/site/
Trata-se de um doce em camadas: caramelo, bananas (ou outra fruta), creme de ovos ou baunilha e merengue por cima. Talvez este equilíbrio - ou balanço entre camadas e sabores - tenha gerado o nome diferente... Pesquisando várias receitas, vi que não havia um consenso nem na sua origem, muito menos nas receitas... Na maioria delas, a banana era parte fundamental, mas, em Frederico Westphalen onde a provei várias vezes nos restaurantes, não havia sinais de nenhuma fruta...

Particularmente gostei da ideia de colocar uma fruta junto com o caramelo, o que deixaria o doce "menos doce" e com sabores mais contrastantes. Há receitas que dizem que "sem banana" não é Chico Balanceado (ou Manezinho Araújo) - outras dizem que a banana pode ser substituída por outras frutas (como maçã, pera, pêssego...)

Fiz a receita por duas vezes: uma com a banana grelhada, colocada sobre o caramelo no fundo da forma. O sabor ficou incrível, mas o caramelo ficou um pouco grudado no fundo... Na segunda tentativa, já resolvi inventar ainda mais: caramelizei fatias de maçã (com açúcar e manteiga), evitando-se que o caramelo grudasse (inspirada no recheio da receita de Tarte Tatin, aqui do blog).

Em ambas as tentativas, os convidados lamberam os beiços... Sucesso total. Agora, fica a seu critério qual versão usar... Sem nenhuma fruta, com banana sobre o caramelo, com maçã (ou banana) caramelizadas previamente... Na dúvida, vou postar as 3 receitas... Aí você escolhe!! Ou experimenta as 3 e me conta depois o que achou!

Chico Balanceado (com maçãs caramelizadas)

6 porções

para as maçãs caramelizadas
  • 4 maçãs Fuji cortadas em 8 fatias cada
  • 1/2 xícara de açúcar
  • 80 gr de manteiga
para o creme de baunilha
  • 3 gemas
  • 1/2 lata de leite condensado
  • 2 xícaras de leite (500ml)
  • gotas de baunilha
  • 1 colher de sopa de maisena
para o merengue
  • 3 claras
  • 1 colher de chá de vinagre branco
  • 2 colheres de sopa (rasas) de açúcar
  • 1 forma pirex média
Prepare as maçãs caramelizadas: em uma frigideira grande, derreta a manteiga e misture o açúcar. Acomode as fatias de maçãs lado a lado, de modo a nenhuma ficar sobre a outra. Deixe caramelizar por uns 20 minutos, virando na metade do tempo. Coloque no fundo do pirex.



Prepare o creme: misture o leite condensado, o leite, as gemas e a maisena. Leve ao fogo e mexa até engrossar. Despeje sobre as maçãs.




Prepare o merengue: Bata as claras com o vinagre e o açúcar até ficar bem encorpado. Coloque sobre o creme de baunilha.



Aqueça o forno (de preferência com grill) e coloque o Chico Balanceado para gratinar a superfície (ou utilize um maçarico, mas cuidado para não queimar o merengue!!).




Leve para a geladeira de um dia para o outro, de preferência.

Chico Balanceado (sem fruta)

6 porções

para o caramelo
  • 1 xícara de açúcar
  • 1/3 xícara de água
para o creme de baunilha
  • 3 gemas
  • 1/2 lata de leite condensado
  • 2 xícaras de leite (500ml)
  • gotas de baunilha
  • 1 colher de sopa de maisena
para o merengue
  • 3 claras
  • 1 colher de chá de vinagre branco
  • 2 colheres de sopa (rasas) de açúcar
  • 1 forma pirex média
Prepare o caramelo: em uma panela de fundo grosso, dissolva o açúcar na água. Leve ao fogo baixo e deixe caramelizar (sem mexer). Despeje o caramelo no fundo do pirex.

Prepare o creme: misture o leite condensado, o leite, as gemas e a maisena. Leve ao fogo e mexa até engrossar. Despeje sobre o caramelo.

Prepare o merengue: Bata as claras com o vinagre e o açúcar até ficar bem encorpado. Coloque sobre o creme de baunilha.

Aqueça o forno (de preferência com grill) e coloque o Chico Balanceado para gratinar a superfície (ou utilize um maçarico, mas cuidado para não queimar o merengue!!)

Leve para a geladeira de um dia para o outro, de preferência.

Chico Balanceado (com banana grelhada)

6 porções

para o caramelo
  • 1 xícara de açúcar
  • 1/3 xícara de água
para a banana
  • 4 bananas nanicas cortadas no comprimento
  • 1 colher de sopa de manteiga
para o creme de baunilha
  • 3 gemas
  • 1/2 lata de leite condensado
  • 2 xícaras de leite (500ml)
  • gotas de baunilha
  • 1 colher de sopa de maisena
para o merengue
  • 3 claras
  • 1 colher de chá de vinagre branco
  • 2 colheres de sopa (rasas) de açúcar
  • 1 forma pirex média
Prepare o caramelo: em uma panela de fundo grosso, dissolva o açúcar na água. Leve ao fogo baixo e deixe caramelizar (sem mexer). Despeje o caramelo no fundo do pirex.

Prepare as bananas: em uma frigideira grande, derreta a manteiga e frite as fatias de banana dos dois lados. Coloque as bananas sobre o caramelo.

Prepare o creme: misture o leite condensado, o leite, as gemas e a maisena. Leve ao fogo e mexa até engrossar. Despeje sobre as bananas.

Prepare o merengue: Bata as claras com o vinagre e o açúcar até ficar bem encorpado. Coloque sobre o creme de baunilha.

Aqueça o forno (de preferência com grill) e coloque o Chico Balanceado para gratinar a superfície(ou utilize um maçarico, mas cuidado para não queimar o merengue!!).

Leve para a geladeira de um dia para o outro, de preferência.

Tenho certeza que, independentemente da receita ou versão escolhida, será um sucesso!!

Aqui, o Chico Balanceado servido com outra sobremesa típica do Sul, o Sagu de Vinho com Creme de Baunilha
Bon Appetit!

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Reproduzir a Torta Trançada de Palmito Pupunha da Rita Lobo

Torta de Palmito Trançada
Desde que assisti o Programa do Cozinha Prática, da Rita Lobo, que mostrou esta Torta de Palmito com a cobertura cheia de tranças, não sosseguei enquanto não a testei!! E as condições não eram as ideais: estava em Frederico Westphalen (RS), a trabalho, com uma cozinha pequena, sem os utensílios corretos (como rolo de massa e pincel), sem os ingredientes certos (como o pupunha fresco) e com um forno a gás que eu não tinha utilizado muito... Mas o que são estas pequenas limitações para uma Home Chef obstinada??

Afinal, tudo tem solução: no lugar do rolo de massa, uma garrafa de vinho... No lugar do pincel, o dedo... No lugar do pupunha fresco, encontrei pupunha em conserva (marca Hemmer)... E o forno, exigiu uma "monitoração" mais atenta, mas funcionou!

A massa é maravilhosa, leve, crocante, fácil de manusear (até com a garrafa de vinho). O recheio é ótimo: cremoso, suave, saboroso! E a cobertura... é trabalhosa, mas o efeito é incrível! Impossível não receber elogios com esta receita!

Antes da publicação deste post, já fiz 2 vezes: a primeira, em uma forma grande, com as tranças e a segunda vez, 2 tortas pequenas, com as tiras entrelaçadas (mas sem tranças).

Torta de Palmito Pupunha

(1 torta grande ou 2 tortas pequenas)

Para a Massa
  • 150 gr de manteiga gelada, em cubinhos
  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 3/4 xícara de água gelada
  • pitada de sal
Para o Recheio
  • 400 gr de palmito pupunha picado (usei o Hemmer em conserva)
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 2 tomates picados sem sementes
  • 1 xícara de ervilha fresca (congelada)
  • 1 1/2 xícaras de leite
  • 2 colheres de sopa de farinha de trigo
  • salsinha picada
  • sal e pimenta a gosto
  • 1 ovo batido com um pouquinho de água para pincelar
  • 1 forma de torta redonda com borda removível (de 30 cm de diâmetro ou 2 de 20 cm)
Prepare a massa: Misture a farinha de trigo e a manteiga com as pontas dos dedos até virar uma farofa. Junte o sal e a água gelada, misturando até formar uma massa homogênea. Coloque na geladeira por 1 hora.

Prepare o recheio: Doure a cebola e o alho na manteiga. Coloque o tomate e o palmito picados e deixe refogar. Coloque as ervilhas e refogue mais um pouco. Misture o leite e a farinha e junte ao refogado. Deixe apurar por alguns minutos, até engrossar bem. Finalize com o sal, a pimenta e a salsinha picada. Deixe esfriar.

Antes de iniciar a montagem, deixe a massa em temperatura ambiente (cerca de uns 10 minutos fora da geladeira).

Para uma torta grande (com tranças):
Divida a massa em 2. Abra metade da massa em círculo e coloque no fundo e nas laterais da forma. Abra a 2a. parte da massa em um retângulo de 45 x 25 cm. Com a ajuda de uma régua e carretilha (ou faca), corte 5 tiras de 4 cm. Depois, corte 24 tiras de 1 cm. Com as tiras de 1 cm, junte 3 e faça uma trança (monte 8 tranças).

Para 2 tortas pequenas (sem tranças):
Divida a massa em 4. Abra uma dela em círculo e coloque no fundo e nas laterais de cada forma. Abra uma outra parte em retângulo, cortando 10 tiras de 4 cm.

Coloque o recheio na forma e comece a montagem da cobertura: coloque as 5 tiras grandes. Intercale as tranças (levante as tiras largas alternadas e coloque a trança. Levante as tiras não levantadas no movimento anterior e coloque outra trança. Faça assim até completar a cobertura. Para as tortas pequenas, o procedimento é o mesmo.

A torta antes de assar
Aqueça o forno a 180 graus. Pincele a cobertura com o ovo batido e leve para assar por 50 minutos a 1 hora. Deixe amornar para servir (senão o recheio ficará líquido demais).

Versão com tranças
Versão sem tranças


Aceita um pedacinho??? rs
Bon Appetit!