domingo, 2 de setembro de 2018

DESAFIO: Preparar os "Tigelli", uns pãezinhos italianos grelhados muito recheados!!

Tigelli (e seus acompanhamentos)
Nas nossas viagens pelo Brasil a trabalho, acabamos vivendo muitas experiências incríveis! Foi o caso deste restaurante em Chapecó (Santa Catarina), chamado Vino & Tigelle. Na minha santa ignorância, achei que o local servia a comida em "bowls" (ou "tigelas"... kkkk). Quando entendemos do que se tratava, nos surpreendemos: tigelli são pãezinhos assados na grelha e recheados com o que você quiser! No restaurante, era servido um rodízio de tigelli, com diversos recheios harmonizados com diferentes tipos de vinho (de acordo com o recheio do tigelle)! Beeem legal!

Pesquisando sobre o assunto e tentando encontrar uma receita para reproduzir, descobri que o tigelle é típico da região de Modena e lá é chamado de "Crescentine"! Bingo! Quando estivemos em Modena, fui ao Mercado Municipal (lugar incrível, um paraíso gastronômico), provamos o tal pãozinho crescentine, recheado com uma espécie de banha temperada e mortadela (italiana, obviamente!! rs). Inesquecível!

Na Itália, os tais pãezinhos são tão populares que há diversos utensílios para facilitar o seu preparo (tigelleras), desde uma versão para assá-los no fogão (equivalente àquelas sanduicheiras que vão direto ao fogo) ou ainda a versão elétrica, mais profissional!

foto da Internet
foto da Internet


Crescentine ou Tigelle, o que importa é a versatilidade desta ideia, perfeita para servir para a família e os amigos em um jantar bem descontraído! E você não precisa dos equipamentos especiais, bastando uma grelha ou frigideira grande de fundo grosso, para grelhar.

Os pãezinhos exigem um preparo antecipado, pois é uma massa com crescimento a base de fermento biológico e pode ser finalizado (grelhado) na hora, na presença dos convidados! Capriche nos acompanhamentos: tábua de frios, tábua de queijos, geleias agridoces, pastinhas cremosas e folhas (alface, rúcula...). O céu e sua criatividade são o limite! Além dos frios (presunto de parma é um que não pode faltar...), queijos como gouda, provolone, gorgonzola vão muito bem... E as pastinhas dão a cremosidade necessária ao recheio: fiz 2 versões, de Tomate Seco e de Manjericão, a base de ricota! Leves e saborosas!

A receita abaixo é suficiente para servir 8 pessoas com bastante apetite!!

Tigelli & seus acompanhamentos

(40 pãezinhos)

para os Tigelli

  • 750 gramas de farinha tipo 00 (usei a Colavita)
  • 1,5 colher de sopa de fermento biológico seco
  • 1,5 colher de chá de açúcar
  • 4,5 colheres de sopa de azeite extra virgem
  • 15 gr de sal
  • 150 ml de água morna
  • 150 ml de leite morno 
  • Sêmola de grano duro ou farinha para polvilhar

Dissolva o fermento biológico seco e o açúcar em 100 ml de água morna, Deixe crescer por 5 minutos.
Coloque a farinha e o sal em uma vasilha grande e misture bem. Faça um buraco no meio e junte os líquidos: azeite, o fermento dissolvido e o leite (deixe os 50ml de água que sobrou para usar somente se necessário para dar liga). Comece a misturar e a sovar a massa por 10 minutos, até ficar bem lisa e homogênea. Coloque para descansar em uma vasilha grande untada com azeite por 1 hora ou até dobrar de volume.
Depois de crescer, abra a massa com um rolo, bem fina e corte em rodelas de 7 cm (utilizando um cortador de metal). Coloque as rodelas em bandejas polvilhadas com sêmola e deixe em local protegido por, no mínimo, 30 minutos.



Aqueça uma grelha de ferro, de fundo grosso (sem untar). Coloque as rodelas para grelhar, deixando dourar bem de cada lado.



Corte ao meio e sirva com os acompanhamentos abaixo.

Tábua de Frios e Queijos

  • 200 gr de presunto de parma
  • 200 gr de Mortadela Italiana (ou outro embutido de sua preferência)
  • 200 gr de Provolone em fatias
  • 1 pedaço de gouda
  • 1 pedaço de queijo esférico
  • 1 pedaço de queijo brie
  • Geleia de pimenta
  • galhos de alecrim para decorar



Pastinhas de Ricota Temperadas (tomate seco e manjericão)
  • 300 gr de ricota
  • 75 gr de tomate seco
  • 1 maço de manjericão
  • azeite a gosto
  • sal e pimenta a gosto
Em um processador, bata metade da ricota com os tomates secos até virar uma pasta. Se ficar muito espesso, coloque um pouco de azeite e acerte o sal. Reserve na geladeira.
Para a Pasta de manjericão, bata o restante da ricota com as folhas lavadas de manjericão, sal e pimenta do reino. Coloque azeite se necessário. Reserve na geladeira.


Para os Tigelli Doces

  • Doce de Leite
  • Nutella
  • Rodelas de Banana
  • Morango
  • Brigadeiro
  • Queijo Branco
  • Pedaços de Goibada

Monte uma mesa bem bonita com as tábuas, as pastinhas e os tigelli. Abra um bom vinho, chame os amigos e... bom jantar! No final, sirva os complementos doces! Os tigelli versão "sobremesa" ficam incríveis!!

Tigelle pronto para uma mordida!!

Esse, recheado com rúcula, brie e presunto de parma!
Bon Appetit!

domingo, 26 de agosto de 2018

DESAFIO Light: Spaghetti Integral com Couve

Spaghetti Integral com Couve
Quando vi esta receita pela primeira vez (créditos para a Rita Lobo, do Panelinha), não pus uma fé... rs... Massa e couve?? Jura??

Mas resolvi provar (quando abri a geladeira e aquele maço de couve me desafiou...) e tive uma grata surpresa... O prato é incrível! E a combinação funciona, principalmente por que, além da couve, acrescenta-se alho picado frito no azeite! Perfeito para dar sabor à couve!

Eu utilizei o spaghetti integral da Barilla, mas você pode optar pela massa normal... Mas, caso ainda não tenha provado a versão integral, experimente ao menos uma vez... Aposto que você não notará diferença e é muito mais saudável que a versão tradicional! Veja, pela foto, que nem escura a massa é...

E pensa em uma receita fácil e rápida de se fazer! Além de ser saudável!!

Spaghetti Integral com Couve

(2 porções)


  • 250 gr de spaghetti integral Barilla
  • 1/2 maço de couve picada
  • 4 dentes de alho picados
  • azeite a gosto
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • parmesão ralado na hora para finalizar

Ferva 2,5 l de água em uma panela grande. Acrescente a massa e, quando faltar 5 minutos para terminar o cozimento (conforme o tempo da embalagem), acrescente a couve. Enquanto isso, frite o alho no azeite.

Terminado o cozimento coe a massa e a couve. Coloque em uma travessa, tempere com o alho no azeite, sal e pimenta do reino, finalizando com o parmesão ralado na hora.

Dica: Para uma versão mais picante, frite junto com o alho 1 pimenta dedo de moça picada (sem as sementes).

E bon Appettit!


DESAFIOS LIGHT: Um Jantar Completo "Fruit & Fish"!

Jantar "Fruits & Fish"
Jantar com minhas comadres sempre rende bons desafios gastronômicos! E desta vez não foi diferente! Como estou na "onda light", minhas amigas tiveram que entrar na mesma onda! Mas elas não se arrependeram, porque o cardápio foi light, mas muito saboroso!

A inspiração foram as frutas e os peixes ("Fruits & Fish"): como entrada, um ceviche de manga e kanikama; como prato principal, salmão no papillotte com molho de maracujá (assado dentro de um "pacote" de papel alumínio - aprendi essa receita com a incrível Rita Lobo, do Panelinha) com Cuscuz Marroquino; e, para finalizar, um Creme de Papaya "Light", sem sorvete de creme (para ficar "light", usei banana nanica congelada, para encorpar e gelar o papaya).

A "criatividade" maior ficou por conta do aproveitamento da casca do maracujá utilizado para fazer o molho do salmão... Eram tão lindas e perfeitas que foram utilizadas para servir o Ceviche!

Ceviche de Manga e Kanikama

(4 porções)


  • 1 manga madura (e firme) cortada em pedaços pequenos
  • 1/2 cebola roxa picada
  • 1/2 pimenta dedo de moça picada (sem sementes)
  • coentro picado a gosto
  • 1/2 limão siciliano espremido
  • azeite extra virgem a gosto
  • 8 bastões de kanikama picados
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 4 metades de casca de maracujá para servir (veja abaixo a receita do salmão, que leva a polpa do maracujá)
  • alface frisée para acompanhar

Misture todos os ingredientes (menos a casca de maracujá) e deixe descansar na geladeira. Sirva dentro da casca de maracujá, com a alface ao redor.

Salmão com Molho de Maracujá no Papillotte e Cuscuz Marroquino

(4 porções)

para o salmão

  • 4 postas de salmão (200 gr cada)
  • 2 maracujás grandes (separe a polpa e reserve as cascas para o ceviche de manga)
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1/2 cebola roxa cortada em 4 partes
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 1/2 pimenta dedo de moça cortada em 4 partes
  • papel alumínio para embrulhar

Aqueça o forno a 180 graus.
Prepare o suco de maracujá: bata a polpa no liquidificador por alguns segundos e coe. Reserve.
Monte os papillottes: Coloque um pedaço grande de papel alumínio sobre um prato fundo. Disponha a posta de salmão bem no centro. Coloque sobre o salmão um pedaço de cebola roxa, 1 pedaço da pimenta dedo de moça, tempere com sal e pimenta, 1/2 colher de sopa de manteiga e, por último, regue com o suco de maracujá. Feche o papillotte (importante deixar um espaço vago bem grande entre o salmão e o fechamento do papel alumínio, para que os vapores internos circulem dentro do papillotte). Repita com as demais postas. Leve ao forno por 20 minutos.

para o Cuscuz Marroquino
1 xícara de cuscuz marroquino
1 xícara de caldo de legumes quente
1 colher de sopa de manteiga
sal a gosto
Misture o cuscuz com o caldo de legumes, o sal e a manteiga. Cubra e deixe descansar por 5 minutos. Com um garfo, solte bem o cuscuz e reserve aquecido até o salmão ficar pronto.

Monte o prato: com cuidado para não se queimar, abra os papillottes e coloque o caldo que ser formou em uma jarrinha individual. Coloque o cuscuz na base do prato e o salmão por cima, enfeitando com o pedaço de cebola roxa e a pimenta dedo de moça. Ao lado, disponha a jarrinha com o caldo de maracujá.

Creme de Papaya Light

4 porções


  • 1 mamão papaya grande (retire as sementes e utilize somente a polpa)
  • 2 bananas nanicas cortadas em pedaço (e congeladas previamente)]
  • algumas gotas de essência de baunilha
  • vinho do porto ou licor a gosto

Prepare somente na hora de servir: bata o papaya, a baunilha e a banana congelada no liquidificador. Sirva em potes de vidro individuais e regue com o vinho do porto ou o licor. Sirva imediatamente.

E Bon Appetit!

DESAFIO: Salmão Grelhado com Quinotto de Cogumelos Frescos e Tomatinhos Assados

Salmão Grelhado com Quinotto de Cogumelos e Tomates Assados
Trabalhando em Campo Grande - MS, conheci um restaurante peruano "fusion" muito interessante chamado Imakay.

Lá provei um prato delicioso e diferente, chamado Quinotto de Salmão: um risotto cremoso feito com quinoa (daí o nome "Quinotto") com pequenos pedaços grelhados de salmão misturados à quinoa.

Esta foi a inspiração desta receita! Na minha "releitura", o salmão entra em posta inteira, grelhada e coberta por delicados tomatinhos cereja assados no forno e o "Quinotto" é incrementado por cogumelos paris frescos e salteados.

O resultado é um prato completo, leve, nutritivo e muito saboroso, que vai surpreender seus convidados! Seu único "senão" é o custo: salmão, quinoa e cogumelos paris frescos são ingredientes bastante caros... Mas para uma ocasião especial, vale a pena o investimento!

Salmão Grelhado com Quinotto de Cogumelos Frescos e Tomates Cereja Assados 

(4 porções)

para o Salmão

  • 4 postas de salmão com pele (cerca de 200 gr cada posta)
  • 1/2 limão siciliano
  • alecrim fresco
  • azeite
  • sal e pimenta do reino a gosto

para os Tomates

  • 2 pacotes de tomates sweet ou cereja
  • azeite a gosto
  • 4 dentes de alho
  • sal a gosto

para o Quinotto

  • 1 1/2 xícaras de quinoa
  • 1/2 cebola picada
  • 100ml de vinho branco seco
  • 1 pacote de cogumelos paris fatiados
  • azeite a gosto
  • raspas de limão siciliano
  • 2,5 xícaras de caldo de legumes quente
  • 1 colher sopa de manteiga
  • salsinha picada a gosto
  • sal a gosto

Modo de Preparo:

Tempere o salmão com sal, pimenta, limão siciliano, azeite e alecrim. Reserve na geladeira por, no mínimo, 30 minutos.

Aqueça o forno a 200 graus (com o grill, se houver). Disponha os tomatinhos em uma assadeira e tempere com sal, os dentes de alho (inteiros) e bastante azeite. Leve ao forno por 40 minutos, até ficarem tostados. Reserve (mantendo quente).

Prepare os cogumelos: Aqueça uma frigideira de borda alta (wok) com azeite e coloque os cogumelos fatiados. Deixe cozinhar até secar o líquido e dourar os cogumelos. Tempere com sal, pimenta, raspas de limão e salsinha. Reserve.

Prepare o quinotto (parte 1): Aqueça uma panela grande de fundo grosso (pode ser a wok) e frite a cebola com azeite. Junte a quinoa e mexa bem. Acrescente o vinho e deixe evaporar. Junte 2 xícaras de caldo de legumes quente e deixe cozinhar por 10 minutos. Reserve.

Prepare o salmão: Aqueça uma grelha de ferro (ou a Double Pan) e coloque as postas com a pele para baixo. Deixe grelhar por 5 minutos de cada lado, virando com muito cuidado para não desfazer a posta (se for a Double Pan, são 10 minutos com a panela fechada - não é necessário virar). Reserve.

Enquanto o salmão está sendo grelhado: finalize o quinotto (parte 2), acrescentando 1/2 xícara de caldo e mexendo por alguns minutos. Desligue o fogo, junto os cogumelos e a manteiga e misture delicadamente. Deixe descansar até o salmão ficar pronto.

Monte o prato: coloque 2 colheres de arroz de quinotto no fundo de um prato grande (de preferência aquecido previamente), coloque a posta de Salmão sobre o quinotto e finalize com os tomates assados.

E Bon Appetit!

DESAFIOS LIGHT: Fusilli Integrale Primavera

Fusilli Integrale Primavera
Esse prato é criação minha, inspirado em algumas massas servidas em restaurantes com tomates cereja frescos, mussarela de búfala e manjericão (uma versão "caprese" para massas). Provei esta versão em um restaurante outro dia (Olive Garden, para ser mais específica) e me decepcionei com a falta de "integração" entre os sabores... Os tomates crus estavam muito ácidos e a mussarela de búfala não estava derretida... 

Pensei então em fazer algumas variações nesta combinação de ingredientes e sabores que tinha tudo para ficar incrível.

A começar pelos tomatinhos cereja, que poderiam ser gentilmente confitados com azeite no forno... E adicionar um ingrediente fenomenal para uma massa com proposta "light": a abobrinha! Mas não simplesmente uma abobrinha cozinha... Mas sim grelhar as fatias de abobrinha e depois mariná-las com azeite e (muito) manjericão! Por último, a mussarela de búfala em pedacinhos pequenos para que pudessem derreter... E não é que ficou bom?? rs

Fusilli Integrale Primavera 

(2 pessoas)

  • 250 gr de fusilli (parafuso) integral
  • 300 gr de tomates cereja
  • 1 maço de manjericão
  • 1 abobrinha em rodelas finas
  • 180 gramas de mussarela de búfala fresca em bolinhas pequenas (cortadas ao meio)
  • azeite extra virgem a gosto (não economize!!)
  • sal a gosto
  • pimenta do reino moída na hora a gosto

Aqueça o forno a 180 graus. Coloque os tomatinhos em uma assadeira pequena, tempere com sal e pimenta do reino, acrescente umas folhinhas de manjericão e regue com bastante azeite. Leve ao forno por 30 minutos.

Aqueça uma frigideira de ferro (tipo "bistequeira") e vá grelhando as fatias de abobrinha dos dois lados. Em uma travessa, coloque uma camada de abobrinha e regue com azeite e tempere com sal, pimenta e folhas de manjericão. Deixe descansar até a hora de montar o prato (quanto maior a antecedência, maior a absorção dos sabores).

Aqueça uma panela com 2,5 l de água. Cozinhe a massa "al dente" (firme ao morder) e coe a água. Em uma travessa previamente aquecida, coloque a massa e junte os tomatinhos, a abobrinha marinada e a mussarela de búfala. Misture bem, acerte o sal e sirva imediatamente!

Bon Appetit!

DESAFIOS LIGHT: Creme de Cabotian Picante com Castanhas Tostadas

Queridos amigos, depois de uns meses afastada por motivos profissionais (trabalho, viagens, viagens, trabalho... rs), resolvi postar algumas receitinhas por aqui (só para matar a saudade!).

Tenho cozinhado pouco ultimamente, mas, quando vou para cozinha, a "tendência" tem sido preparar refeições leves e saudáveis, como esta entradinha deliciosa e muito fácil de fazer: Creme de abóbora (cabotian - aquela de casca escura e bem dura) com pimenta dedo de moça e gengibre, finalizada com alecrim e castanhas (amêndoas e castanhas do pará) picadas e tostadinhas! Leve, saudável e incrivelmente saborosa, apesar dos poucos ingredientes!

Como prato principal para esta entrada, preparei um Fusilli (parafuso) Integral a Primavera (com tomatinhos cereja confitados, abobrinha grelhada e marinada no azeite, manjericão e mussarela de búfala. Vejam a receita aqui!

Creme de Cabotian Picante com Castanhas Tostadas 

(4 porções)


  • 1/2 abóbora cabotian em pedaços (sem casca)
  • água para cozinhar a abóbora
  • 1/2 pimenta dedo de moça sem sementes picada
  • 1 pedaço de gengibre cortado em partes grandes (que serão retiradas depois)
  • sal a gosto
  • 10 amêndoas picadas
  • 2 castanhas do pará picadas
  • 1 galho de alecrim para decorar
  • flor de sal para finalizar
  • azeite para finalizar

Coloque os pedaços de abóbora em uma panela e coloque água até cobrir os pedaços. Acrescente a pimenta dedo de moça e os pedaços de gengibre. Cozinhe até a abóbora desmanchar (cerca de 30 minutos). Deixe esfriar um pouco. Descarte os pedaços de gengibre e bata o restante no liquidificador até ficar bem homogêneo. Volte para a panela, aqueça novamente, acerte o sal. Enquanto esquenta, toste as castanhas em uma frigideira pequena de fundo grosso (para não queimar). Sirva o creme em porções individuais, decorado com o galho de alecrim e finalizado com as castanhas tostadas, um filete de azeite e um toque de flor de sal!

E Bon Appetit!





quarta-feira, 29 de novembro de 2017

DESAFIOS LIGHT: Panqueca de Batata Doce e Aveia com Salada Mista

Panqueca de Batata Doce e Aveia com Salada Mista
Continuando os Desafios Light com sugestões de refeições fitness, saudáveis e sem carne, mais uma com o nosso tubérculo mais queridinho: a Batata Doce!! Essa receita é super rica em proteína e tem carboidrato de baixo índice glicêmico. Isso significa que durante sua digestão, o carboidrato é transformado mais lentamente em açúcar no sangue, pois o pâncreas libera a insulina mais lentamente (se comparada a outros carboidratos como farinha branca ou batata inglesa) e, portanto, gera saciedade por mais tempo (com a mesma quantidade de calorias), além de ser mais saudável para o organismo.

Vejam a comparação: enquanto a Batata Inglesa tem IG de 70, a Batata Doce tem 48!

Isso é bem interessante de se conhecer, porque, para uma Reeducação Alimentar, não é só uma questão de redução de calorias, mas de se colocar alimentos mais saudáveis, ricos em fibras, proteínas, vitaminas, gorduras boas (ômega 3) e baixo índice glicêmico.

Além da Batata Doce x Batata Inglesa, veja outras substituições nesta mesma linha (de redução de IG):

  • Arroz Integral ou Quinoa ou Arroz Multigrãos (no lugar do Arroz Branco)
  • Pão Francês Integral (ao invés do Pão francês normal)
  • Espiga de Milho no lugar da batata inglesa ou do arroz branco
  • Farinha Integral ou Farinha de Linhaça ou Farinha de Aveia (no lugar da farinha de trigo branca)
  • Macarrão Integral (o Barilla integral é excelente) no lugar da massa tradicional
  • Biscoito integral (feito em casa com farinha integral e mascavo) no lugar de biscoitos industrializados

Voltando então a nossa receitinha, esta panqueca é bem prática de se preparar nas refeições principais ou ainda como lanche pós treino. É sem glúten e sem lactose, além de ser vegetariana (só não é vegana porque tem ovos...). Para facilitar e agilizar o processo, cozinhe a batata doce antecipadamente e deixe na geladeira: é bem prático e você pode usar em várias outras receitas, acrescentando o tubérculo em uma salada ou fazer uma Sopa Creme de Cebola ou Alho Poró.

Panqueca Salgada de Batata Doce e Aveia com Salada Mista

(1 porção)


  • 1 ovo
  • 1 clara
  • 1 colher de sopa cheia de farelo de aveia
  • 1 xícara de batata doce bem cozida
  • sal a gosto
  • salsinha picada
  • salada mista para acompanhar (alface, agrião, tomate)
  • azeite, aceto balsâmico, sal e pimenta (para temperar a salada)

Bata o ovo inteiro, a clara, a aveia, a batata doce e o sal no liquidificador (ou com um garfo). Misture a salsinha picada (sem triturar).

Aqueça bem e unte (levemente) uma frigideira antiaderente. Coloque a massa (pode ser feita uma panqueca grande ou várias pequenas - neste caso coloque 1 terço da massa de cada vez) e deixe dourar bem. Com uma espátula bem grande, vire a panqueca cuidadosamente e deixe dourar do outro lado.

Sirva imediatamente, com a salada.

E Bon Appetit!

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Medalhão de Filet Mignon com Molho de Mostarda Dijon e Shoyu



Medalhões de Filet com Molho de Mostarda Dijon
Este é um prato refinado e simples de fazer ao mesmo tempo (tirando somente a parte de "flambar" que pode ser um pouco aterrorizador para certas pessoas... rs). O importante é que os ingredientes sejam frescos (como a carne e o creme de leite) e de boa qualidade (como a Mostarda Dijon). Perfeito como prato principal e vai levar de 5 a 10 minutos para finalizar antes de servir. Prepare um purê de batatas ou mandioquinha ou ainda um Risotto de Parmesão para acompanhar. Divino!!




Medalhões de Filet com Molho de Mostarda Dijon

(6 porções)


  • 6 medalhões médios
  • sal e pimenta do reino moídos na hora
  • 2 colheres de sopa de farinha de trigo para empanar
  • 1 colher de sopa de manteiga para fritar
  • 1/3 xícara de conhaque para flambar
  • 2 colheres de sopa de mostarda dijon
  • 2 colheres de sopa de molho shoyu
  • pimenta rosa em grãos
  • 250 ml de creme de leite fresco ou nata
  • alecrim para finalizar


Aqueça o forno em temperatura baixa (100 graus). Tempere os medalhões com sal e pimenta do reino. Empane cada medalhão com farinha de trigo. Aqueça uma frigideira grande e derreta a manteiga. Frite os medalhões por 2 minutos cada lado (para ficar ao ponto). Aqueça o conhaque em uma concha de metal na boca do fogão, incline levemente para inflamar e jogue sobre os medalhões. Retire os medalhões e coloque-os em refratário no forno. Na frigideira utilizada, coloque a mostarda, o shoyu, a pimenta em grãos e o creme de leite ou nata. Deixe ferver em fogo baixo por alguns minutos, até encorpar um pouco. Retire os medalhões do forno e cubra com o molho. Finalize com as folhas de alecrim. Sirva imediatamente, acompanhado de purê de batatas ou de Risotto de Parmesão.



domingo, 12 de novembro de 2017

DESAFIO LIGHT: Fajitas (Wraps) Integrais de Frango!

Fajitas (Wraps) Integrais de Frango
Mais uma receita leve e completa, perfeita para uma refeição saborosa e que não detona o regime! As fajitas são uma forma de preparo das tortillas mexicanas, feitas com farinha de trigo ou com milho, recheadas com carne, frango ou legumes, além de alface, tomate e queijo, em um formato semelhante aos Wraps americanos. 

Nesta versão, temos a tortilla feita com farinha integral e azeite, mais saudável e cheia de fibras. O recheio é de frango (usei a parte da coxa e da sobrecoxa, mais tenras que a parte do peito), bastante cebola e pimentão amarelo, além de um toque de pimenta vermelha!

Fajitas (Wraps) Integrais de Frango

(6 unidades)

para as tortillas integrais


  • 1 xícara de farinha de trigo integral
  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 1/4 xícara de azeite
  • água para dar liga (o quanto baste)
  • pitada de sal

para o recheio das fajitas


  • 2 coxas e sobrecoxas sem pele, desossadas, em cubos pequenos, temperados com limão, sal e pimenta do reino
  • azeite para refogar
  • 1 cebola em tiras finas
  • 1/2 pimentão amarelo em tiras finas
  • sal a gosto
  • pimenta vermelha a gosto (ou pimenta dedo de moça fresca, picadinha sem as sementes)
  • alface picado
  • tomate em fatias (metades)
  • queijo mussarela ralado grosso

preparo da massa da tortilla

Misture as farinhas, o sal e o azeite, juntando água aos poucos e sovando até ficar macia e lisa (sem grudar). Deixe descansar enquanto prepara o recheio.

preparo do recheio

Aqueça uma frigideira grande, com bordas altas (de preferência uma wok) com azeite. Doure os pedaços de frango. Junte a cebola, o pimentão e a pimenta e deixe refogar por alguns minutos. Reserve.

preparo da tortilla

Divida a massa em 6 partes. Abra cada pedaço com um rolo de massa até ficar bem fino. Aqueça uma frigideira antiaderente, de fundo grosso. Grelhe cada fajita por alguns minutos, até ficar com pontos mais escuros.

montagem da fajita

Coloque no meio de cada fajita umas 2 colheres de sopa do recheio de frango quente. Coloque o queijo mussarela por cima, em seguida os tomates e o alface. Enrole a fajita, corte ao meio e sirva imediatamente.


Bon Appetit!

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

DESAFIO LIGHT: Crepiocas Gratinadas de Espinafre e Ricota

Crepiocas Gratinadas de Espinafre e Ricota
Os Desafios Light são uma proposta de se encontrar receitas saudáveis, de baixa caloria, eventualmente sem glúten e sem lactose, mas que sejam super saborosas! Afinal, comida saudável não precisa ser necessariamente sem graça, não é mesmo??

Esta receita é criação minha, tendo como base as deliciosas "crepiocas" ou crepes feitos com ovos e tapioca (ou seja, sem glúten e com bastante proteína). O recheio, light e delicioso, é a base de ricota, cottage e espinafre cozido. Para finalizar, um molho branco bem levinho (feito com leite desnatado e maisena - sem glúten também) e um toque de parmesão ralado (este não é light, mas ninguém é de ferro, não é mesmo??). Se quiser substituir o parmesão, há uma alternativa mais light: ricota defumada (mas é não muito fácil de achar por aí...). A receita é suficiente para 6 unidades e, se servida como prato principal acompanhada de uma salada verde, é suficiente para duas pessoas.

Crepiocas Gratinadas de Espinafre e Ricota

(para 6 unidades - 2 pessoas)

para a massa


  • 2 ovos
  • 2 claras
  • 4 colheres de sopa de goma de tapioca

para o recheio


  • 150 gr de ricota amassada
  • 1 colher de sopa de cottage (para dar liga)
  • 1/2 maço de espinafre cozido e picado
  • sal, azeite e pimenta do reino a gosto

para o molho


  • 1 xícara de leite desnatado
  • 1 colher de sopa de maisena
  • sal, pimenta, noz moscada a gosto para temperar

parmesão ralado para finalizar
azeite para untar
Salada Verde para acompanhar

Modo de Preparo

Prepare a massa da panqueca: misture bem todos os ingredientes. Aqueça uma frigideira média antiaderente e faça 6 panquecas fininhas. Reserve.

Prepare o recheio: misture bem os ingredientes e reserve.

Prepare o molho: Aqueça o leite com o sal, pimenta e noz moscada. Dissolva a maisena com um pouco de água. Junte ao leite quente e vá misturando até engrossar. Reserve.

Aqueça o forno com o grill (para gratinar).

Para montar: Unte uma forma com azeite. Monte as panquecas com 1 colher de sopa bem cheia do recheio de ricota e espinafre. Disponha na forma lado a lado. Cubra com o molho branco e salpique o queijo parmesão. Leve ao forno até gratinar a superfície. Sirva com uma Salada Verde!

Bon Appetit!

terça-feira, 29 de agosto de 2017

DESAFIO: Crostata di Ricotta (Torta Doce de Ricota)

Crostata di Ricotta (Torta Doce de Ricota)
A inspiração desta receita foi um jantar italiano (e vegetariano) para duas amigas muito queridas. Eu queria uma sobremesa típica, saborosa e leve, para acompanhar a Panzanella (Salada de Pão e tomates) e o Spaghetti a la Norma.

Pessoalmente, adoro doces com ricota, tanto na massa quanto no recheio. Por isso optei por esta Crostata (ou Torta Doce em italiano), com um recheio leve à base de ricota, aromatizado com Amaretto e raspas de laranja.

Com recheio leve na textura e sabor marcante, realçado pela massa levemente doce e crocante, o charme da torta fica por conta do acabamento entrelaçado na superfície. Corte 10 tiras da massa, coloque 5 em um sentido (com 2 a 3 cm entre elas) e vá levantando uma sim e uma não para passar a tira no outro sentido... Fica lindo!!!

Fiz meia receita, para uma torta pequena (de 20 cm). Para uma torta grande (forma de 30 cm), dobre os ingredientes!

Crostata di Ricotta (Torta Doce de Ricota)

(1 torta pequena de 20cm)

Massa

  • 125 gr de manteiga ou margarina gelada
  • 1,5 xícaras de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1/2 ovo (bater um ovo e separar metade)

Recheio

  • 500 gr de ricota fresca
  • 50ml de licor Amaretto
  • raspas de uma laranja
  • 1/2 xícara de açúcar confeiteiro
  • 1 ovo
  • ovo batido para pincelar
  • açúcar confeiteiro para finalizar

Forma de Preparo:

Prepare a massa: bata no processador a manteiga, a farinha e o açúcar até virar uma farofa. Junte o ovo (meio) e bata até aglutinar e formar uma bola. Coloque na geladeira por 1 hora.

Prepare o recheio: bata todos os ingredientes (menos as raspas) no processador. Junte as raspas e reserve na geladeira.

Monte a torta: abra 3/4 da massa para forrar uma forma redonda com fundo removível de 20cm de diâmetro. Coloque o recheio. Abra o restante da massa e corte tiras, formando uma tela na superfície.
Pincele a massa com o ovo batido.

Aqueça o forno a 180 graus. Leve para assar por 40 minutos, ou até dourar e o recheio ficar firme. Deixe amornar, polvilhe o açúcar confeiteiro e sirva!



Bon Appetit!

DESAFIO LIGHT: Spaghetti (Integral) a la Norma

Conheci este prato no restaurante do Jamie Oliver em São Paulo... Não sabia que se tratava de uma receita clássica, a base de molho de tomates e cubos assados de berinjela! Além de delicioso, é um prato bastante saudável, principalmente se a massa for integral. Mas não se assuste: ao provar a massa integral da Barilla, você nunca mais vai comprar a massa normal... É muito gostosa, não deixando nada a dever, em sabor, à massa tradicional. E, de "brinde", você terá uma receita mais saudável, com muito mais fibras! Fit e saboroso!
Testei a receita em um jantar vegetariano com toque italiano para 2 amigas muito queridas! Como entrada, servi a Panzanella (uma salada de Pão Italiano e tomates super saborosa - Veja a receita aqui) e, de sobremesa, uma Crostata di Ricotta (torta doce de ricota, maravilhosa). Sucesso total!

E a Norma?? Deve ter sido uma senhorinha italiana muito simpática que cozinhava super bem e nos deixou essa receita simples e incrível! Obrigada, Dona Norma

Spaghetti (Integral) a La Norma

(4 a 5 pessoas)


  • 1 pacote de spaghetti integral Barilla
  • 2 berinjelas em cubos
  • azeite a gosto
  • orégano a gosto
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 2 latas de molho de tomate pelado
  • pimenta dedo de moça a gosto
  • 3 dentes de alho inteiros e descascados
  • 2 folhas de louro
  • Queijo parmesão ralado grosso para finalizar


Aqueça o forno a 200 graus. Coloque as berinjelas em cubos em uma assadeira, tempere com azeite, sal, azeite e pimenta e deixe dourar bem (cerca de 20 a 30 minutos).

Em uma panela grande, aqueça 5 litros de água temperada com sal e azeite.

Em outra panela, aqueça um pouco de azeite e frite os dentes de alho e a dedo de moça. Acrescente os tomates pelados (já esmagados com um garfo ou com os dedos), tempere com sal e deixe apurar por uns 5 minutos. Acrescente os cubos assados de berinjela e deixe apurar por mais 5 minutos.

Cozinhe a massa pelo  tempo recomendado, coe a água e cubra com o molho. Finalize com o parmesão ralado.


Bon Appetit!

DESAFIO: Panzanella (ou Salada de Pão e Tomates)

Panzanella (Salada de Pão e Tomates)
Salada de Pão?? Não parece meio estranho? Mas não é não... Pelo contrário, é maravilhosa!! Crocante, saborosa, aromática, fresca e perfeita para um jantar com toque italiano!

Imagino que esta receita tenha surgido a partir de sobras de pão italiano e de tomates que estavam ficando maduros demais! Aí, foi só juntar azeite, azeitonas pretas e manjericão... e estava criada uma receita tipicamente mediterrânea! Encontrei esta receita no livro do Jamie Oliver na Itália, uma coleção de receitas saborosas e super típicas! Recomendo!

Servi a Panzanella como entrada de um jantar Italiano para duas amigas muito queridas, acompanhada de Spaghetti a La Norma (molho de tomates e berinjela) e de uma deliciosa Crostata di Ricotta (torta doce de ricota).

Para "incrementar" a receita, coloquei também mussarela de búfala em cubos, que combinaram perfeitamente com os demais sabores!

Panzanella (Salada de Tomates e Pão)

(6 porções)

Para o Pão

  • 200 gr de pão italiano amanhecido, cortado em cubos
  • azeite a gosto
  • orégano a gosto
  • alho picado a gosto
  • sal e pimenta do reino a gosto

Para o Molho

  • 2 tomates italianos picados
  • 1/3 xícara de azeite extra virgem
  • 1 cebola picada
  • folhas de manjericão a gosto
  • vinagre de vinho tinto (1 colher de sopa)

Para a Salada

  • 2 tomates carmem cortados grosseiramente
  • 2 tomates italianos cortados em meia luas
  • 1 pacote de tomates cereja
  • azeitonas pretas sem caroço picadas
  • cebola roxa cortada em fatias finas, deixada de molho em água por 30 minutos
  • folhas de manjericão a gosto
  • 100 gr de mussarela de búfala em pedaços (opcional)
  • parmesão em lascas grossas para finalizar

Prepare o pão: Aqueça o forno a 180 graus e asse os cubos de pão temperados com azeite, alho, orégano, sal e pimenta por 15 minutos (ou até dourarem). Reserve.

Prepare o molho; Bata todos os ingredientes no processador ou liquidificador. Reserve.

Na hora de servir: Misture todos os ingredientes da salada com os pedaços de pão e o molho. Decore com o parmesão. Sirva imediatamente (para que os cubos ainda fiquem bem crocantes).



Bon Appetit!


segunda-feira, 24 de julho de 2017

DESAFIO LIGHT: Bolo Integral de Banana, Maçã, Damasco e Castanhas

Bolo Integral de Banana, Maçã, Damasco e Castanhas
Esta é uma receita incrível, pois, além de deliciosa, é super saudável! E o melhor, facílima de fazer, não necessitando de liquidificador ou batedeira. Basta misturar os ingredientes com uma espátula e colocar para assar. Em menos de uma hora, você terá um bolo super perfumado, cheio de sabores de frutas frescas, frutas secas e castanhas, além dos grãos integrais! Não é muito doce e fica maravilhoso servido levemente morno, acompanhado de um chá ou um café passado na hora! Se quiser variar, substitua os damascos por passas pretas ou brancas, as castanhas por nozes ou avelãs, a farinha de linhaça por outro tipo de farinha integral, a chia por linhaça em grãos... É só usar a criatividade e fazer a sua composição, mantendo as proporções de secos e líquidos!

Bolo Integral de Banana, Maçã, Damasco e Castanhas

(1 bolo inglês - 12 fatias - 156 kcal por fatia)


  • 2 bananas maduras amassadas
  • 1 maçã picada sem casca
  • 6 damascos secos picados
  • 1 punhado de amêndoas picadas
  • 1 punhado de castanhas de caju picadas
  • 1 colher de chá de canela
  • 4 colheres de sopa de açúcar mascavo
  • 3/4 xícara de farinha de trigo integral
  • 1/2 xícara de farelo de aveia
  • 2 colheres de sopa de farinha de linhaça
  • 1 colher de sopa de semente de chia
  • 1 colher de chá de fermento para bolo
  • 3 ovos pequenos ou 2 grandes
  • 3 colheres de sopa de óleo vegetal

Aqueça o forno a 190 graus. Misture todos os ingredientes, menos os ovos e o óleo. Em um recipiente a parte, bata bem os ovos e o óleo. Junte ao restante dos ingredientes e misture tudo com uma colher. Unte uma forma de bolo inglês com óleo e coloque a massa. Leve para assar por 35 a 40 minutos.

Bon Appetit!

domingo, 4 de junho de 2017

DESAFIO LIGHT: Chai Latte Light (e Diet)!

Chai Latte Light (e Diet)
Quando descobri o Chai Latte no Starbucks, me apaixonei! Virou minha bebida preferida, tanto na versão quente como gelada, perfeita para o verão. Peço sempre a versão com leite desnatado e "sem água" - para deixar o sabor de especiariais bem forte... Fica até engraçado o pedido: "Oi... Me vê um Chai-Latte-Light-Quente-Sem-Água"!

O Chai Latte é uma bebida de origem indiana, feita a base de leite e chá preto com especiarias como canela, cravo, gengibre, anis e cardamomo. Li em uma reportagem sobre a Índia, que a bebida é o "café" dos indianos... E que servir o Chai com uma semente de "cardamomo" junto é sinal de "bem querer" e amizade! Ou seja, se você já foi para Índia, tomou Chai e nunca encontrou uma semente de cardomomo dentro... Sorry, você não é muito querido por lá!!! kkkkk

Já tomei algumas versões do Chai Latte mais cremosas, feitas em máquinas de café expresso domésticas ou mesmo em cafeterias a partir de misturas prontas... Mas a versão do Starbucks é minha preferida, pois é líquida e muito aromática. Pesquisando sobre essa receita especificamente, descobri algo que eu não esperava: a versão "média" do Chai Latte no Starbucks tem mais açúcar que uma barra de Snickers! Já pensou??
Na versão com leite integral, são 270 calorias! E na versão com leite desnatado, 210! (clique aqui para ver). Ambas possuem 31 gramas de açúcar, um absurdo!! (Clique aqui para ver a reportagem em inglês).

Mais um motivo para o nosso desafio de reproduzir a bebida em casa, em uma versão (realmente) light e sem açúcar!

Encontrei várias versões da receita, algumas com preparação do "chá" com água, e depois se acrescentando o leite.. Mas a que mais gostei (pela intensidade dos sabores), foi uma em que as especiarias e o chá preto são colocados diretamente no leite (veja aqui a receita que me inspirou)!

Em 5 minutos, você terá uma bebida surpreendente, perfeita para o inverno, e com "termogênicos" (substâncias que estimulam a queima de gordura corporal, como o gengibre e a canela)!!

E para fazer a versão "verão", deixe esfriar na geladeira ou coloque cubos de gelo após coar o chai!

A versão "normal" da receita leva leite integral e açúcar. A nossa versão light e diet leva leite desnatado e adoçante! Você escolhe!!

Chai Latte Light (e Diet)

2 xícaras (82 calorias por porção)

  • 2 xícaras de leite desnatado
  • 1 canela em pau
  • 4 cravos
  • 2 cardamomo
  • 2 anis estrelados
  • 2 bolinhas de pimenta do reino
  • 1 pedaço de gengibre fresco em fatias
  • 2 colheres de sopa de chá preto (a granel)
  • 2 saquinhos de adoçante
  • 2 canelas em pau para servir

Aqueça o leite e os demais ingredientes (menos o chá preto e o adoçante). Quando estiver quase fervendo, desligue o fogo e coloque o chá e o adoçante. Tampe por 5 minutos. Coe e sirva em cada xícara com uma canela em pau para mexer! Se quiser tomar gelado, acrescente alguns cubos de gelo.




Chai Latte Light (e Diet)

quarta-feira, 31 de maio de 2017

DESAFIO LIGHT: Pão Chapati

Pão Chapati (com Mango Chutney)
Que tal fazer um pão que não precisa fermentar e nem assar?? E que você faz em poucos minutos?

O Pão Chapati é um pão de origem indiana, considerado um dos pães mais antigos do mundo, feito com farinha integral e cozido em uma chapa quente! Não leva fermento, o que torna o seu preparo bem rápido, pois a massa não precisa descansar. A única "habilidade" necessária é abrir a massa bem fininha com um rolo de massa.

A receita original do Pão Chapati veio do livro Cozinha Prática, da Rita Lobo. Essa receita leva 100% de farinha integral, mas eu já testei fazê-lo com farinha normal (100%) e com uma proporção de 2:1 entre farinha normal e integral. O melhor resultado foi o último, conforme a receita descrita abaixo!

E para acompanhar, em um jantar com inspiração indiana que fiz para um grupo de amigas, servi o Pão Chapati (que fica bem crocante, parecendo uma torrada) com Mango Chutney (clique aqui para ver a receita) e com Baigan Bharta, uma pastinha de berinjelas com tomates, sementes de cominho e coentro fresco (que postarei a receita em breve). Exótico e surpreendente. Sucesso total!

Pão Chapati

 (15 unidades)

  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 1/2 xícara de farinha de trigo integral
  • 1,5 colheres de sopa de óleo
  • 1/2 xícara de água (ou o suficiente para dar liga)
  • farinha de trigo para polvilhar
Misture em um bowl todos os ingredientes até dar liga. Sove a massa por alguns minutos, até ficar macia, homogênea e elástica. Faça um rolo e divida em 15 partes iguais.

Com um rolo, abra cada parte em um círculo bem fininho. Aqueça uma frigideira antiaderente de fundo grosso. Coloque a massa aberta na frigideira e deixe por 30 a 40 segundos de cada lado (até criar bolhas e dourar bem). Repita o processo com as demais partes. Sirva com pastinhas como Mango Chutney ou Baigan Bharta (berinjela com tomates), ambas com inspiração indiana.



E Bon Appetit!

segunda-feira, 29 de maio de 2017

DESAFIO: Mango Chutney ou Chutney de Manga!

Eu e meus jantares temáticos!! Desta vez, o evento foi o Encontro de 5 amigas com algo em comum: o bom humor! Paula, minha companheira de vela (e ex-sócia na lanchinha Cinque Mari) em Paraty, nos "marinizamos" juntas (isso significa aprender a tomar banho frio, a lavar a louça com pouquíssima água, a economizar energia, a nunca usar um secador de cabelos no barco, a viver com 2 shorts e 2 camisetas...rs)! Alki, amiga da Paula, conheci também em Paraty, em um churrasco de velejadores na Ilha da Cotia, simpatia mútua e amizade imediata! Andrea, também da turma de velejadores, nossa arquiteta em muitos projetos incríveis e, além de tudo, prima distante do meu marido! E, finalmente, a mais nova da turma, Ana Paula, "sogrinha" do meu filho e minha vizinha!

Formada a turma, era a hora de pensar no "tema": um Jantar Indiano!

E o cardápio foi se formando com receitas já testadas no blog, como o Chicken Tikka Masala (Frango ao Molho de Masala - clique aqui para ver o post), rico em sabores e aromas, preparado com especiarias como o Garam Masala, as folhas de Curry, o açafrão da terra, acompanhado de Arroz Basmati (típico indiano), cozido no leite de coco... e a Banana Celestial, sobremesa que conheci no restaurante indiano Gopala Prasada, grelhada no ghee (manteiga clarificada) e gratinada no forno com creme de leite e açúcar mascavo... Dos Deuses...

Mas também era uma ótima oportunidade de testar novas receitas, principalmente de entradas para compor o menu... Logo pensei no Mango Chutney, uma espécie de conserva "agridoce" feita com manga, maçã, pimentão vermelho, passas brancas e muitas especiarias. A receita escolhida foi a da Rita Lobo (Panelinha), mas com um toque de "Bela Gil": o açúcar refinado foi substituído pelo açúcar mascavo!

E para acompanhar o chutney, Pão Chapati, um pão feito sem fermento, "grelhado" em uma chapa bem quente! A receita do Chapati também é da Rita Lobo, mas fiz uma pequena alteração: ao invés de 100% de farinha integral (que deixou o chapati bem duro), alterei a proporção para 2/3 farinha de trigo e 1/3 farinha integral. Ficou perfeito! Aguardem o post em breve!

Também testei a receita de uma pastinha indiana de Berinjelas, a Baigan Bharta, feita com berinjelas grelhadas inteiras na chapa e depois refogadas com cebola, tomate e sementes de cominho, finalizadas com coentro fresco. Logo logo posto esta receita também!

Mas vamos começar pela receita do Mango Chutney, que pode ser feita com bastante antecedência e armazenada em potes herméticos (como uma conserva)! Além de servir como entrada, esta receita fica perfeita como "molho" no Fondue de Carne ou como acompanhamento de carnes, frangos ou peixes! Sirva no churrasco, seus convidados vão amar!

Mango Chutney ou Chutney de Manga

(1 pote grande de 500 gr)


  • 2 mangas palmer picadas
  • 1 maçã fuji sem casca, picada
  • 1 cebola picada
  • 1 dente de alho picado
  • 1/2 pimentão vermelho picado
  • 1 1/2 colheres de sopa de gengibre ralado
  • 1/4 xícara de uvas passas brancas
  • 1/2 xícara de chá de açúcar mascavo
  • 1 1/2 colheres de chá de sal
  • 1 canela em rama
  • 1/4 xícara vinagre de vinho branco
  • 1/4 xícara de água




Levar todos os ingredientes ao fogo brando por 40 minutos, mexendo de vez em quando. Se necessário, juntar mais água. Deixar esfriar e guardar na geladeira em potes herméticos. Preparar com antecedência.

Bon Appetit!!

quarta-feira, 26 de abril de 2017

DESAFIO: Malabie, uma sobremesa árabe!

Malabie (Creme Branco com Damasco)
Em um jantar árabe temático, que tal terminar a noite com uma sobremesa típica super leve e facílima de fazer?? Malabie é um "manjar branco" com calda de damasco, normalmente  servido nos restaurantes árabes de São Paulo, como o Almanara e o Tenda do Nilo.

A dificuldade maior da receita está em comprar dois ingredientes específicos, que garantem o sabor característico: água de rosas e "miski" (uma resina vegetal em formato de pequenas pedrinhas com sabor de "grama", que os árabes costumam mastigar). Em lojas especializadas (ou mesmo sites na internet) é possível encontrar estes produtos. Quando executei a receita, só tinha a água de rosas, comprada anteriormente. Infelizmente não testei com o "miski", mas apenas a água de rosas já deu um sabor bem exótico.

É possível também fazer a calda de damascos com damasco seco picado, água e açúcar, mas, para facilitar, comprei uma boa geleia de damasco, que pode ser diluída com um pouquinho de água para atingir a consistência de calda.

Malabie (Creme Branco com Calda de Damasco)

(5 porções)

  • 3 xícaras de leite integral
  • 3 colheres de sopa de maisena
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • 1 colher de sopa de água de rosas
  • 1 pedrinha de miski
  • 5 colheres de sopa de geleia de damasco diluída em um pouco de água filtrada
  • tirinhas de damasco seco para enfeitar

Dissolva a maisena e o açúcar no leite. Em uma panela, aquela o leite e mexa delicadamente até engrossar. Tire do fogo, junte a água de rosas e o miski, misture até dissolver e distribua em taças transparentes e leve para a geladeira para endurecer (no mínimo 4 horas).

Na hora de servir, coloque a calda de damasco sobre o creme branco e decore com as tirinhas de damasco! E vejam como foi o Jantar Árabe completo, com Kafta, Tabule, Arroz Libanês e Falafel com Molho de Tahine:


Bon Appetit!

DESAFIO: Mais uma receita árabe tradicional, o Falafel!

Falafel com Molho de Tahine
Os paulistanos, como eu, tem o privilégio de conviver com imigrantes do mundo todo na nossa cidade e poder conhecer e provar diferentes culturas gastronômicas. Algumas destas culturas conquistaram os paulistanos em larga escala, como a japonesa, chinesa e árabe, inclusive virando "fast-foods" espalhados pela cidade!

Aqui nos Desafios já postei muitas receitas da culinária árabe, com seus temperos aromáticos (pimenta síria, sumagre ou summac, cominho, sementes de coentro, gergelim, hortelã...) e seus ingredientes específicos (tahine ou pasta de gergelim, água de rosas, água de flor de laranjeira, folhas de uva, trigo em grãos, xarope de romã, massa filo, pinoli, nozes...). De posse destes ingredientes e temperos (encontrados em casas especializadas e até mesmo em alguns supermercados), a culinária do Oriente Médio estará a seus pés!! Os demais ingredientes são muito acessíveis: carne moída, berinjela, abobrinha, grão de bico, cebola, alho, tomate, pepino, rabanete, coalhada, limão, farinha de trigo, lentilha, frango...) e você estará pronto (a) para preparar delícias como o Babaganouch (Pasta de Berinjela), Homus (pasta de grão de bico), Coalhada, Pão Pita, Quibe Frito, Quibe Assado, Quibe Cru, Esfiha Aberta, Esfiha Fechada, Tabule (salada de trigo), Salada Fatouche (com rabanete, pepino, tomate, cebola com sementes de romã), Arroz Libanês (com macarrão aletria), Arroz com Lentilha, Kafta, Michui (espetinho de carne ou frango), Bacleua (uma sobremesa de massa filo com nozes) só para mencionar as receitas mais presentes nos restaurantes árabes da cidade!

E é simplesmente delicioso reproduzir estas receitas em casa e preparar um jantar temático para a família e amigos! Veja um post aqui dos Desafios sobre um Jantar das Mil e Uma Noites!

Recentemente testei mais uma receita bem tradicional da culinária árabe: o Falafel, pequenos e aromáticos bolinhos feitos a base de grão de bico (cru!), fritos e servidos com um delicioso molho de tahine (pasta de gergelim, azeite, limão). Embora seja "fritura", os bolinhos ficam absolutamente sequinhos e crocantes! Uma delícia!!!

Falafel 

(20 bolinhos)

Para os bolinhos

  • 2 a 3 xícaras de grão de bico (deixado de molho por 24 horas)
  • 1 cebola roxa picada
  • 4 dentes de alho
  • 1/2 xícara de hortelã picado
  • 1/2 xícara de coentro picado
  • 1/2 xícara de salsinha picada
  • 1 colher de chá de cominho
  • 1 colher de chá de sementes de coentro
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • sal a gosto
  • pimenta do reino a gosto
  • óleo para fritar

Molho de Tahine

  • 1 colher de sopa  bem cheia de tahine
  • 50 ml de azeite extra virgem
  • suco de 1 limão tahiti
  • 1 pitada de molho inglês
  • 1 pitada de cominho
  • sal a gosto

Em um processador, bata o grão de bico (sem a água) até virar uma pasta. Junte os demais ingredientes e processe somente para incorporar à pasta de grão de bico. Faça pequenas bolinhas (cerca de 20 a 24) e coloque em uma assadeira. Leve a geladeira por, no mínimo, 1 hora.





Aqueça uma panela com óleo (o suficiente para cobrir os bolinhos). Quando o óleo estiver bem quente, coloque os bolinhos e frite cerca de 6 a 8 de cada vez, até ficarem bem morenos. Deixe escorrer em papel toalha.


Prepare o molho, misturando bem todos os ingredientes.

Sirva os bolinhos com o molho de tahine! E Bon Appetit!


E o Jantar Completo, com Kafta, Arroz Libanês e Tabule!!

DESAFIO LIGHT: Brownie Funcional de Frigideira

Brownie Funcional de Frigideira
Sabe aquela vontade de comer um docinho depois do almoço mas o regime (ou melhor, a "Reeducação Alimentar" - mais efetiva) não permite?? Encontrei e testei essa receita super simples (e bem gostosa) para matar a fissura de doce (e chocolate) sem detonar as calorias do dia - e ainda por cima é super rápida! A parte um pouco mais "trabalhosa" é derreter o chocolate amargo em banho maria. Se preferir, pode usar o microondas em potência média, também vai funcionar! Não é um doce muito "doce" e tem sabor bem forte de chocolate! Fica perfeito com um sorvete de creme... Mas procure uma versão "light", ok?? rs... Ou então, uma versão caseira de sorvete de iogurte, que tal??



Brownie Funcional de Frigideira

(1 bolo pequeno ou 4 porções)

  • 1 ovo
  • 1 clara
  • 2 colheres de sopa de tapioca
  • 1 colher de sopa de polvilho doce
  • 2 colheres de sopa de cacau em pó (sem açúcar)
  • 2 colheres de sopa de açúcar de coco (ou açúcar mascavo)
  • 25 gr de chocolate amargo em barra derretido no banho maria
  • amêndoas ou nozes picadas a gosto
Misture todos os ingredientes (menos as amêndoas ou nozes) com um fuê até ficar uma massa lisa e homogênea. Aqueça uma frigideira pequena de fundo grosso e despeje a massa. Salpique com as amêndoas e tampe. Deixe cozinhar por uns 5 minutos ou até estar firme. Deixe amornar e sirva!




Brownie Funcional de Frigideira
Bon Appetit!! E boa reeducação alimentar!!