domingo, 4 de junho de 2017

DESAFIO LIGHT: Chai Latte Light (e Diet)!

Chai Latte Light (e Diet)
Quando descobri o Chai Latte no Starbucks, me apaixonei! Virou minha bebida preferida, tanto na versão quente como gelada, perfeita para o verão. Peço sempre a versão com leite desnatado e "sem água" - para deixar o sabor de especiariais bem forte... Fica até engraçado o pedido: "Oi... Me vê um Chai-Latte-Light-Quente-Sem-Água"!

O Chai Latte é uma bebida de origem indiana, feita a base de leite e chá preto com especiarias como canela, cravo, gengibre, anis e cardamomo. Li em uma reportagem sobre a Índia, que a bebida é o "café" dos indianos... E que servir o Chai com uma semente de "cardamomo" junto é sinal de "bem querer" e amizade! Ou seja, se você já foi para Índia, tomou Chai e nunca encontrou uma semente de cardomomo dentro... Sorry, você não é muito querido por lá!!! kkkkk

Já tomei algumas versões do Chai Latte mais cremosas, feitas em máquinas de café expresso domésticas ou mesmo em cafeterias a partir de misturas prontas... Mas a versão do Starbucks é minha preferida, pois é líquida e muito aromática. Pesquisando sobre essa receita especificamente, descobri algo que eu não esperava: a versão "média" do Chai Latte no Starbucks tem mais açúcar que uma barra de Snickers! Já pensou??
Na versão com leite integral, são 270 calorias! E na versão com leite desnatado, 210! (clique aqui para ver). Ambas possuem 31 gramas de açúcar, um absurdo!! (Clique aqui para ver a reportagem em inglês).

Mais um motivo para o nosso desafio de reproduzir a bebida em casa, em uma versão (realmente) light e sem açúcar!

Encontrei várias versões da receita, algumas com preparação do "chá" com água, e depois se acrescentando o leite.. Mas a que mais gostei (pela intensidade dos sabores), foi uma em que as especiarias e o chá preto são colocados diretamente no leite (veja aqui a receita que me inspirou)!

Em 5 minutos, você terá uma bebida surpreendente, perfeita para o inverno, e com "termogênicos" (substâncias que estimulam a queima de gordura corporal, como o gengibre e a canela)!!

E para fazer a versão "verão", deixe esfriar na geladeira ou coloque cubos de gelo após coar o chai!

A versão "normal" da receita leva leite integral e açúcar. A nossa versão light e diet leva leite desnatado e adoçante! Você escolhe!!

Chai Latte Light (e Diet)

2 xícaras (82 calorias por porção)

  • 2 xícaras de leite desnatado
  • 1 canela em pau
  • 4 cravos
  • 2 cardamomo
  • 2 anis estrelados
  • 2 bolinhas de pimenta do reino
  • 1 pedaço de gengibre fresco em fatias
  • 2 colheres de sopa de chá preto (a granel)
  • 2 saquinhos de adoçante
  • 2 canelas em pau para servir

Aqueça o leite e os demais ingredientes (menos o chá preto e o adoçante). Quando estiver quase fervendo, desligue o fogo e coloque o chá e o adoçante. Tampe por 5 minutos. Coe e sirva em cada xícara com uma canela em pau para mexer! Se quiser tomar gelado, acrescente alguns cubos de gelo.




Chai Latte Light (e Diet)

quarta-feira, 31 de maio de 2017

DESAFIO LIGHT: Pão Chapati

Pão Chapati (com Mango Chutney)
Que tal fazer um pão que não precisa fermentar e nem assar?? E que você faz em poucos minutos?

O Pão Chapati é um pão de origem indiana, considerado um dos pães mais antigos do mundo, feito com farinha integral e cozido em uma chapa quente! Não leva fermento, o que torna o seu preparo bem rápido, pois a massa não precisa descansar. A única "habilidade" necessária é abrir a massa bem fininha com um rolo de massa.

A receita original do Pão Chapati veio do livro Cozinha Prática, da Rita Lobo. Essa receita leva 100% de farinha integral, mas eu já testei fazê-lo com farinha normal (100%) e com uma proporção de 2:1 entre farinha normal e integral. O melhor resultado foi o último, conforme a receita descrita abaixo!

E para acompanhar, em um jantar com inspiração indiana que fiz para um grupo de amigas, servi o Pão Chapati (que fica bem crocante, parecendo uma torrada) com Mango Chutney (clique aqui para ver a receita) e com Baigan Bharta, uma pastinha de berinjelas com tomates, sementes de cominho e coentro fresco (que postarei a receita em breve). Exótico e surpreendente. Sucesso total!

Pão Chapati

 (15 unidades)

  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 1/2 xícara de farinha de trigo integral
  • 1,5 colheres de sopa de óleo
  • 1/2 xícara de água (ou o suficiente para dar liga)
  • farinha de trigo para polvilhar
Misture em um bowl todos os ingredientes até dar liga. Sove a massa por alguns minutos, até ficar macia, homogênea e elástica. Faça um rolo e divida em 15 partes iguais.

Com um rolo, abra cada parte em um círculo bem fininho. Aqueça uma frigideira antiaderente de fundo grosso. Coloque a massa aberta na frigideira e deixe por 30 a 40 segundos de cada lado (até criar bolhas e dourar bem). Repita o processo com as demais partes. Sirva com pastinhas como Mango Chutney ou Baigan Bharta (berinjela com tomates), ambas com inspiração indiana.



E Bon Appetit!

segunda-feira, 29 de maio de 2017

DESAFIO: Mango Chutney ou Chutney de Manga!

Eu e meus jantares temáticos!! Desta vez, o evento foi o Encontro de 5 amigas com algo em comum: o bom humor! Paula, minha companheira de vela (e ex-sócia na lanchinha Cinque Mari) em Paraty, nos "marinizamos" juntas (isso significa aprender a tomar banho frio, a lavar a louça com pouquíssima água, a economizar energia, a nunca usar um secador de cabelos no barco, a viver com 2 shorts e 2 camisetas...rs)! Alki, amiga da Paula, conheci também em Paraty, em um churrasco de velejadores na Ilha da Cotia, simpatia mútua e amizade imediata! Andrea, também da turma de velejadores, nossa arquiteta em muitos projetos incríveis e, além de tudo, prima distante do meu marido! E, finalmente, a mais nova da turma, Ana Paula, "sogrinha" do meu filho e minha vizinha!

Formada a turma, era a hora de pensar no "tema": um Jantar Indiano!

E o cardápio foi se formando com receitas já testadas no blog, como o Chicken Tikka Masala (Frango ao Molho de Masala - clique aqui para ver o post), rico em sabores e aromas, preparado com especiarias como o Garam Masala, as folhas de Curry, o açafrão da terra, acompanhado de Arroz Basmati (típico indiano), cozido no leite de coco... e a Banana Celestial, sobremesa que conheci no restaurante indiano Gopala Prasada, grelhada no ghee (manteiga clarificada) e gratinada no forno com creme de leite e açúcar mascavo... Dos Deuses...

Mas também era uma ótima oportunidade de testar novas receitas, principalmente de entradas para compor o menu... Logo pensei no Mango Chutney, uma espécie de conserva "agridoce" feita com manga, maçã, pimentão vermelho, passas brancas e muitas especiarias. A receita escolhida foi a da Rita Lobo (Panelinha), mas com um toque de "Bela Gil": o açúcar refinado foi substituído pelo açúcar mascavo!

E para acompanhar o chutney, Pão Chapati, um pão feito sem fermento, "grelhado" em uma chapa bem quente! A receita do Chapati também é da Rita Lobo, mas fiz uma pequena alteração: ao invés de 100% de farinha integral (que deixou o chapati bem duro), alterei a proporção para 2/3 farinha de trigo e 1/3 farinha integral. Ficou perfeito! Aguardem o post em breve!

Também testei a receita de uma pastinha indiana de Berinjelas, a Baigan Bharta, feita com berinjelas grelhadas inteiras na chapa e depois refogadas com cebola, tomate e sementes de cominho, finalizadas com coentro fresco. Logo logo posto esta receita também!

Mas vamos começar pela receita do Mango Chutney, que pode ser feita com bastante antecedência e armazenada em potes herméticos (como uma conserva)! Além de servir como entrada, esta receita fica perfeita como "molho" no Fondue de Carne ou como acompanhamento de carnes, frangos ou peixes! Sirva no churrasco, seus convidados vão amar!

Mango Chutney ou Chutney de Manga

(1 pote grande de 500 gr)


  • 2 mangas palmer picadas
  • 1 maçã fuji sem casca, picada
  • 1 cebola picada
  • 1 dente de alho picado
  • 1/2 pimentão vermelho picado
  • 1 1/2 colheres de sopa de gengibre ralado
  • 1/4 xícara de uvas passas brancas
  • 1/2 xícara de chá de açúcar mascavo
  • 1 1/2 colheres de chá de sal
  • 1 canela em rama
  • 1/4 xícara vinagre de vinho branco
  • 1/4 xícara de água




Levar todos os ingredientes ao fogo brando por 40 minutos, mexendo de vez em quando. Se necessário, juntar mais água. Deixar esfriar e guardar na geladeira em potes herméticos. Preparar com antecedência.

Bon Appetit!!

quarta-feira, 26 de abril de 2017

DESAFIO: Malabie, uma sobremesa árabe!

Malabie (Creme Branco com Damasco)
Em um jantar árabe temático, que tal terminar a noite com uma sobremesa típica super leve e facílima de fazer?? Malabie é um "manjar branco" com calda de damasco, normalmente  servido nos restaurantes árabes de São Paulo, como o Almanara e o Tenda do Nilo.

A dificuldade maior da receita está em comprar dois ingredientes específicos, que garantem o sabor característico: água de rosas e "miski" (uma resina vegetal em formato de pequenas pedrinhas com sabor de "grama", que os árabes costumam mastigar). Em lojas especializadas (ou mesmo sites na internet) é possível encontrar estes produtos. Quando executei a receita, só tinha a água de rosas, comprada anteriormente. Infelizmente não testei com o "miski", mas apenas a água de rosas já deu um sabor bem exótico.

É possível também fazer a calda de damascos com damasco seco picado, água e açúcar, mas, para facilitar, comprei uma boa geleia de damasco, que pode ser diluída com um pouquinho de água para atingir a consistência de calda.

Malabie (Creme Branco com Calda de Damasco)

(5 porções)

  • 3 xícaras de leite integral
  • 3 colheres de sopa de maisena
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • 1 colher de sopa de água de rosas
  • 1 pedrinha de miski
  • 5 colheres de sopa de geleia de damasco diluída em um pouco de água filtrada
  • tirinhas de damasco seco para enfeitar

Dissolva a maisena e o açúcar no leite. Em uma panela, aquela o leite e mexa delicadamente até engrossar. Tire do fogo, junte a água de rosas e o miski, misture até dissolver e distribua em taças transparentes e leve para a geladeira para endurecer (no mínimo 4 horas).

Na hora de servir, coloque a calda de damasco sobre o creme branco e decore com as tirinhas de damasco! E vejam como foi o Jantar Árabe completo, com Kafta, Tabule, Arroz Libanês e Falafel com Molho de Tahine:


Bon Appetit!

DESAFIO: Mais uma receita árabe tradicional, o Falafel!

Falafel com Molho de Tahine
Os paulistanos, como eu, tem o privilégio de conviver com imigrantes do mundo todo na nossa cidade e poder conhecer e provar diferentes culturas gastronômicas. Algumas destas culturas conquistaram os paulistanos em larga escala, como a japonesa, chinesa e árabe, inclusive virando "fast-foods" espalhados pela cidade!

Aqui nos Desafios já postei muitas receitas da culinária árabe, com seus temperos aromáticos (pimenta síria, sumagre ou summac, cominho, sementes de coentro, gergelim, hortelã...) e seus ingredientes específicos (tahine ou pasta de gergelim, água de rosas, água de flor de laranjeira, folhas de uva, trigo em grãos, xarope de romã, massa filo, pinoli, nozes...). De posse destes ingredientes e temperos (encontrados em casas especializadas e até mesmo em alguns supermercados), a culinária do Oriente Médio estará a seus pés!! Os demais ingredientes são muito acessíveis: carne moída, berinjela, abobrinha, grão de bico, cebola, alho, tomate, pepino, rabanete, coalhada, limão, farinha de trigo, lentilha, frango...) e você estará pronto (a) para preparar delícias como o Babaganouch (Pasta de Berinjela), Homus (pasta de grão de bico), Coalhada, Pão Pita, Quibe Frito, Quibe Assado, Quibe Cru, Esfiha Aberta, Esfiha Fechada, Tabule (salada de trigo), Salada Fatouche (com rabanete, pepino, tomate, cebola com sementes de romã), Arroz Libanês (com macarrão aletria), Arroz com Lentilha, Kafta, Michui (espetinho de carne ou frango), Bacleua (uma sobremesa de massa filo com nozes) só para mencionar as receitas mais presentes nos restaurantes árabes da cidade!

E é simplesmente delicioso reproduzir estas receitas em casa e preparar um jantar temático para a família e amigos! Veja um post aqui dos Desafios sobre um Jantar das Mil e Uma Noites!

Recentemente testei mais uma receita bem tradicional da culinária árabe: o Falafel, pequenos e aromáticos bolinhos feitos a base de grão de bico (cru!), fritos e servidos com um delicioso molho de tahine (pasta de gergelim, azeite, limão). Embora seja "fritura", os bolinhos ficam absolutamente sequinhos e crocantes! Uma delícia!!!

Falafel 

(20 bolinhos)

Para os bolinhos

  • 2 a 3 xícaras de grão de bico (deixado de molho por 24 horas)
  • 1 cebola roxa picada
  • 4 dentes de alho
  • 1/2 xícara de hortelã picado
  • 1/2 xícara de coentro picado
  • 1/2 xícara de salsinha picada
  • 1 colher de chá de cominho
  • 1 colher de chá de sementes de coentro
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • sal a gosto
  • pimenta do reino a gosto
  • óleo para fritar

Molho de Tahine

  • 1 colher de sopa  bem cheia de tahine
  • 50 ml de azeite extra virgem
  • suco de 1 limão tahiti
  • 1 pitada de molho inglês
  • 1 pitada de cominho
  • sal a gosto

Em um processador, bata o grão de bico (sem a água) até virar uma pasta. Junte os demais ingredientes e processe somente para incorporar à pasta de grão de bico. Faça pequenas bolinhas (cerca de 20 a 24) e coloque em uma assadeira. Leve a geladeira por, no mínimo, 1 hora.





Aqueça uma panela com óleo (o suficiente para cobrir os bolinhos). Quando o óleo estiver bem quente, coloque os bolinhos e frite cerca de 6 a 8 de cada vez, até ficarem bem morenos. Deixe escorrer em papel toalha.


Prepare o molho, misturando bem todos os ingredientes.

Sirva os bolinhos com o molho de tahine! E Bon Appetit!


E o Jantar Completo, com Kafta, Arroz Libanês e Tabule!!

DESAFIO LIGHT: Brownie Funcional de Frigideira

Brownie Funcional de Frigideira
Sabe aquela vontade de comer um docinho depois do almoço mas o regime (ou melhor, a "Reeducação Alimentar" - mais efetiva) não permite?? Encontrei e testei essa receita super simples (e bem gostosa) para matar a fissura de doce (e chocolate) sem detonar as calorias do dia - e ainda por cima é super rápida! A parte um pouco mais "trabalhosa" é derreter o chocolate amargo em banho maria. Se preferir, pode usar o microondas em potência média, também vai funcionar! Não é um doce muito "doce" e tem sabor bem forte de chocolate! Fica perfeito com um sorvete de creme... Mas procure uma versão "light", ok?? rs... Ou então, uma versão caseira de sorvete de iogurte, que tal??



Brownie Funcional de Frigideira

(1 bolo pequeno ou 4 porções)

  • 1 ovo
  • 1 clara
  • 2 colheres de sopa de tapioca
  • 1 colher de sopa de polvilho doce
  • 2 colheres de sopa de cacau em pó (sem açúcar)
  • 2 colheres de sopa de açúcar de coco (ou açúcar mascavo)
  • 25 gr de chocolate amargo em barra derretido no banho maria
  • amêndoas ou nozes picadas a gosto
Misture todos os ingredientes (menos as amêndoas ou nozes) com um fuê até ficar uma massa lisa e homogênea. Aqueça uma frigideira pequena de fundo grosso e despeje a massa. Salpique com as amêndoas e tampe. Deixe cozinhar por uns 5 minutos ou até estar firme. Deixe amornar e sirva!




Brownie Funcional de Frigideira
Bon Appetit!! E boa reeducação alimentar!!





terça-feira, 11 de abril de 2017

DESAFIO LIGHT: Pão de Arroz Cru (de Liquidificador)!

Pão de Arroz Cru (de Liquidificador)
Quando vi esta receita na internet quis prepará-la na mesma hora! Pena que é impossível, porque a parte mais "complicada" dela é deixar o arroz cru de molho na água por 4 horas! Assim, pacientemente, coloquei o arroz de molho e esperei... esperei... esperei... Quando (finalmente) as quatro horas se passaram, demorei um 10 minutos para preparar toda a receita! E mais uns 35 minutos para assar!

Mas, nem tudo são flores... A primeira tentativa da receita foi um fiasco completo! Havia um erro na receita original (por isso nem estou mencionando a fonte aqui...), dizendo que era 1 xícara de óleo de coco, além de 1/2 xícara de azeite! Enquanto preparava, achei que ia ficar "meio" oleoso, por isso reduzi o óleo de coco pela metade! Mesmo assim ficou horrível!! Aí, mudei tudo: substitui o óleo de coco (que deveria ser "leite de coco" na receita original) por creme de leite leve (1 pacotinho) e o azeite por óleo vegetal (deixa menos sabor). Aí ficou perfeita! Não é uma receita super "light", mas é sem glúten e sem lactose (se optar pelo leite de coco ou creme de leite de soja). Na minha próxima tentativa, vou usar arroz integral para ver como fica (e deixar com mais fibras!).

Embora seja chamado de "Pão", parece mais um bolo salgado. Fica macio e bem neutro! Em um jantar para as amigas, servi acompanhado de uma salada thailandesa, com tiras de pepinos e pimenta dedo de moça! Surpreendeu!!

Pão de Arroz Cru

1 pão médio


  • 1 xícara de chá de arroz cru (de molho por 4 horas e escorrido)
  • 4 ovos
  • 1/2 xícara de óleo vegetal (coco, soja, algodão...) ou azeite extra virgem
  • 1 pacotinho de creme de leite leve (ou creme de leite de soja ou leite de coco - para ser sem lactose)
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de sopa de fermento (para bolo)
  • óleo vegetal para untar

Aquecer o forno a 180 graus. Bater todos os ingredientes no liquidificador, menos o fermento. Misturar o fermento e colocar a massa em forma de bolo inglês, untada com óleo. Levar ao forno por 35 a 40 minutos, até dourar e ficar seco por dentro (espete um palito para ver se está seco). Deixe esfriar um pouco e desenforme!

Bon Appetit!

DESAFIO LIGHT: Panqueca Funcional de Banana

Panqueca Funcional de Banana
Antes de falar da receita propriamente dita, gostaria de abordar um tema mais geral e que está bastante em voga atualmente: a Alimentação Funcional.

O termo "funcional" para alimentação vem sendo bastante utilizado - e criticado. Quem critica diz que todo alimento é "funcional", pois tem alguma função nutricional para nosso organismo. Quem defende, diz que o alimento funcional é aquele que traz benefícios nutricionais ao organismo, em comparação a outros alimentos similares industrializados ou processados.
Segundo o site do Ministério da Saúde (clique aqui), Alimentos Funcionais são alimentos ou ingredientes que produzem efeitos benéficos à saúde, além de suas funções nutricionais básicas.Os alimentos funcionais caracterizam-se por oferecer vários benefícios à saúde, além do valor nutritivo inerente à sua composição química, podendo desempenhar um papel potencialmente benéfico na redução do risco de doenças crônicas degenerativas, como câncer e diabetes, dentre outras.
Posto isso, vamos avaliar a nossa receita de hoje: Panqueca "Funcional" de Banana, que leva (apenas) 3 ingredientes: banana (claro!), ovos e farelo de aveia.
  • Banana: Rica em fibras, potássio, triptofano, fósforo, cálcio, magnésio e vitaminas A, C, B1, B2 e B6, controla a pressão arterial, evita câimbras e dores nos músculos. O Triptofano previne e trata a depressão, pois atua na produção de serotonina (o hormônio do bem estar).
  • Ovo: É um alimento extremamente nutritivo, com baixo valor calórico (70 calorias por unidade) e que gera "saciedade", sendo uma excelente fonte de proteínas (cerca de 6 gramas - ou 8% das necessidades diárias). É rico em ácidos graxos (ômega 3) e possui valores consideráveis de vitamina A, D, E e Complexo B. Também fornece quantidades boas de fósforo, selênio, ferro, iodo, cálcio e zinco.
  • Aveia: Alimento rico em fibras, ajuda a controlar níveis de açúcar no sangue, evitando sobrecarga de glicose e insulina (auxílio no tratamento da Diabetes Tipo 2). Suas fibras (betaglucanas) intensificam a ação imunológica, diminuindo o risco de infecções. Possui também vitaminas e minerais antioxidantes, que reduzem os radicais livres (combate ao envelhecimento das células).
Agora, imaginem todos esses benefícios para o seu organismo em uma mesma receita? É incrível ou não é?? Nossa panqueca é vegetariana (sem carne animal) e sem lactose. Por outro lado, não é vegana (pois leva ovo, de origem animal) e não é indicada para alérgicos a glúten (pois a aveia, apesar de não conter glúten na sua essência, normalmente é processada com outros cereais com glúten aqui no Brasil, o que pode contaminá-la).

Resumindo, é uma receita deliciosa (de verdade), com ingredientes fáceis de encontrar, rápida de preparar e extremamente saudável! Ideal para um lanche ou para uma sobremesa!

Panqueca Funcional De Banana

(4 panquecas)

  • 2 ovos
  • 2 bananas
  • 2 colheres de sopa de farelo de aveia
  • óleo de coco para untar a frigideira
  • rodelas de banana e geleia de frutas vermelhas sem açúcar (opcional)
  • mel (opcional)
Bata no liquidificador os ovos, as bananas e a aveia até ficar homogêneo. Aqueça uma frigideira antiaderente (se necessário unte com o óleo de coco). Com uma concha, faça as panquecas e vire cuidadosamente quando estiverem douradas no lado de baixo. Sirva com rodelas de banana, geleia de frutas vermelhas sem açúcar ou mel.



Versão com rodelas de banana por cima e Geleia de Frutas vermelhas sem açúcar
(servida em um jantar fitness para minhas amigas queridas).
Bon Appetit!


quinta-feira, 16 de março de 2017

DESAFIO LIGHT: Suflê de Abobrinha, Ricota e Aveia!

Suflê de Abobrinha, Ricota e Aveia - deliciosamente light!
Muita gente, atualmente, está optando por uma alimentação mais saudável e nutritiva. Algumas para perder peso (a obesidade é uma doença que está se alastrando no Brasil), outros para melhorar a qualidade de vida (reduzir colesterol, pressão, diabetes...). Independentemente do motivo principal, comer menos carne vermelha, gorduras saturadas, alimentos industrializados e priorizar frutas, verduras e legumes, carnes brancas, além de grãos e oleaginosas é uma tendência para todos que pretendam viver mais (e bem).

Tenho testado muitas receitas nesta linha (#desafioslight) e incorporado ao dia a dia da família... Houve um pouco de reclamação no início (afinal, quem não aprecia um belo pedaço de picanha ou uma lasanha a bolonhesa??), mas, aos poucos, a sensação de "leveza" e de bem estar ao se alimentar com refeições mais leves contagia a todos! (menos ao meu filho, que quase me matou quando preparei um hamburguer de quinoa com beterraba! kkkkk).

Meu desafio tem sido encontrar receitas saudáveis e, ao mesmo tempo, saborosas! Abobrinha, berinjela, abóbora, batata doce, mandioquinha, mandioca são ingredientes que podem se transformar em deliciosos (e leves) receitas.

A abobrinha é a estrela deste suflê, super fácil de fazer, que também leva ricota e aveia. "Funcional" e gostoso! Sirva como entrada, em porções individuais, acompanhado de salada!

Suflê Light de Abobrinha, Ricota e Aveia

(4 porções)

  • 2 a 3 abobrinhas raladas com casca no ralador grosso
  • salsinha picada a gosto
  • 200g de ricota fresca sem sal
  • 1/2 xícara de farelo de aveia
  • 3 ovos
  • 4 colheres de sopa de azeite
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • parmesão ralado para polvilhar
Aqueça o forno a 180 graus. Bata no processador a ricota, a aveia, o azeite e os ovos. Misture em uma tigela grande as abobrinhas raladas, a salsinha, a ricota batida com ovos, sal e pimenta. Coloque em um refratário grande (ou refratários individuais) e cubra com o parmesão ralado. Leve ao forno médio até dourar a superfície e e o interior estar firme. Sirva quente, morno ou frio, acompanhado de salada verde.



E Bon Appetit (light!)

terça-feira, 14 de março de 2017

DESAFIO LIGHT: Crepioca, o Crepe de Tapioca!

Crepioca (versão com queijo branco, tomate, manjericão)
Quem está na onda fitness já conhece esta receita incrível, facílima de fazer, saborosa (sim! algo saudável e light pode ser saboroso sim) e mega versátil! Versátil porque pode ser consumida no café da manhã, substituindo o pão, em uma alternativa sem glúten e com muitas proteínas; pode substituir uma refeição, se recheada com queijo minas, tomate, manjericão, acompanhada de salada... pode vir na versão "doce", recheada de banana e canela, perfeita para sobremesa ou para um lanche...

São apenas 2 ingredientes: farinha de tapioca e ovo. Low carb, sem glúten, sem lactose. Só não é vegana porque tem ovo. São 128 calorias, 9,7g de gordura, 10g de proteína e 3g de carboidrato. Na dieta dos pontos, seriam 4 pontos bem aproveitados! (importante: essa quantidade de calorias/pontos é para a receita toda abaixo, que rende de 2 a 3 crepiocas, dependendo da grossura e do tamanho da frigideira).

Dá para aumentar a quantidade de proteína, ômega 3 e de fibras colocando sementes de chia (previamente hidratadas) ou de linhaça. Fica ainda mais saudável. Tenho certeza que esta receita também vai virar sua "queridinha"!

Crepioca

(rende 2 a 3 crepiocas)

  • 1 ovo
  • 1 clara
  • 2 colheres de sopa de farinha de tapioca
  • 1 colher de sopa de chia hidratada (opcional)
Bater tudo no liquidificador (menos a chia, que deve ser misturada depois). Pode ser misturada também apenas com um garfo (fica menos homogênea). Aquecer uma frigideira com fundo anti aderente, despejar 1 concha da massa, espalhar bem e, quando as bordas começarem a soltar, virar para cozinhar do outro lado. Rechear a gosto!

Na frigideira antiaderente
Virando a crepioca

Prontas para rechear a seu gosto!

Crepioca com Banana e Canela

Crepioca com Queijo Branco, Tomate e Manjericão

Crepioca na Versão com Chia, recheada de creme de ricota
Bon Appetit!!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

DESAFIO LIGHT: Pastinhas feitas a base de Tofu, deliciosamente veganas!

Pastinhas de Tofu com Ervas Frescas e Alho e outra
com Damasco e Nozes
 Como vocês já devem ser notado, não sou vegana ou vegetariana, mas sou adepta de uma alimentação saudável! Outro dia li em uma revista que existe uma nova denominação para pessoas como eu, que não são radicais em relação a comer carne, mas que curtem muito frutas, verduras, legumes e alimentos integrais: flexitarianos! Me lembrou um pouco o carro "flex", mas acho que o conceito é parecido!! kkkkkk (para quem não sabe a diferença, o vegetariano não come animais que foram mortos, mas come seus subprodutos como ovos, leite, mel, o vegano não come NADA de origem animal e o flexitariano prefere comer vegetais mas come carne de vez em quando, sem radicalismos).

Quando entrei para uma onda mais "fitness" na alimentação e na atividade física (em Novembro de 2016 decidi emagrecer 4 kg, ganhos por conta de aventuras gastronômicas em viagens de férias e a trabalho), comecei a perceber que, além da perda de peso e do ganho de massa muscular, também comecei a me sentir melhor, sob todos os aspectos. Minhas enxaquecas frequentes praticamente sumiram, a TPM foi bastante reduzida, a disposição para levantar de manhã aumentou, a pele ficou mais firme, o inchaço do abdômen sumiu, a celulite diminuiu bastante...

Basicamente, as principais mudanças foram: (1) comecei a tomar suco detox em jejum (a base de couve, laranja, gengibre, banana e chia - vejam o post sobre isso); (2) tirei o glúten do café da manhã (substituindo por tapioca de queijo branco ou por omelete ou por ovos cozidos ou por crepioca - uma mistura de ovos com tapioca); (3) comecei a fazer regularmente 6 refeições diárias, contando as calorias de todas elas (para ajudar, usei um app no celular chamado Dieta e Saúde), até 1500 calorias; (4) reduzi também os carboidratos em geral, comendo mais proteínas magras (peixe, ovos, frango e carne vermelha magra) e priorizando grãos integrais (arroz integral, aveia, quinoa); (5) cortei os doces (com açúcar ou com adoçante) e substitui por frutas in natura ou shakes de frutas... (6) comecei a fazer exercícios físicos todos os dias, por no mínimo uma hora (caminhada, transport, localizada, pilates), também com a ajuda de dois apps: Sports Tracker (para monitorar as caminhadas) e o Workout Trainer, com muitas sugestões de sequencias de exercícios para fazer em casa.

O mais importante é descobrir o que faz você se sentir bem! Afinal, estar no peso não é só uma questão de estética, é uma questão de saúde física e mental!! E, mesmo em paz com a balança (estou cravada nos 54kg - tenho 1,63 de altura), continuo no mesmo ritmo de alimentação e atividade física!

Momentos da Empreitada "Fitness"!

Um dos ingredientes muito utilizados na alimentação funcional (por ter muitas proteínas) e nos cardápios veganos (por ser de origem vegetal) é o tofu, ou queijo de soja. Muito presente na culinária japonesa, servido "in natura" com molho de soja (shoyu) e cebolinha picada, ainda é pouco conhecido e utilizado pelas pessoas em geral. Eu mesma comprei só uma vez anteriormente, para uma receita tailandesa, mas lendo sobre nutrição, percebi que este era um ingrediente que deveria fazer parte do meu cardápio e das minhas receitas!

Testei o tofu como alternativa a maionese, creme de leite e ricota, no preparo de pastinhas para aperitivo. Fiz duas versões: uma com ervas frescas (colhidas da minha hortinha) e alho e outra com damasco e nozes. Servi com torradinhas de arroz integral, da Camil. Servidos como aperitivo em um jantar com 3 amigas, foi um sucesso! Todas falaram: nossa, nem parece que é queijo de soja!! rs

Pastinha de Tofu com Ervas Frescas e Alho

(1 pote de 200 gr)


  • 200 gr de tofu com um pouco do líquido
  • ervas frescas lavadas e picadas (manjericão, alecrim, tomilho, salsinha, cebolinha, sálvia...)
  • 1 dente de alho picado
  • 1 colher de sopa de azeite extra virgem
  • sal e pimenta do reino a gosto

Bata todos os ingredientes no processador e sirva com torradinhas de arroz integral.

Pastinha de Tofu com Damasco e Nozes

(1 pote de 250 gr)


  • 200 gr de tofu com um pouco do próprio líquido
  • 6 damascos secos picados
  • 1 porção de nozes picadas grosseiramente
  • 1 colher de sopa de azeite extra virgem
  • sal e pimenta do reino a gosto

Bata todos os ingredientes (menos as nozes) no processador. Junte as nozes no final e bata só para misturar (e não destruir as nozes). Sirva com torradinhas de arroz integral.



E Bon Appetit!

As amigas que testaram as pastinhas de tofu, no Jantar "Fit"!


DESAFIO LIGHT: Hamburguer de Batata Doce e Quinoa, com Cebola Roxa Caramelizada, Maionese de Abacate e Saladinha de Folhas com Molho de Chia!

Hamburguer de Batata Doce e Quinoa,
com Cebola Roxa Caramelizada,
Maionese de Abacate e
Saladinha de Folhas com Molho de Chia!
Como vocês já devem ter percebido, a onda "fitness" chegou aos Desafios!! E tem desafio gastronômico mais legal que fazer pratos super saborosos e, ainda por cima, saudáveis?? Este prato é um pouco trabalhoso, tem vários itens na sua composição, mas o resultado é uma refeição completa, balanceada, com pouca gordura e com vários alimentos considerados "funcionais": batata doce, quinoa, couve, chia, abacate... Foi servido em um jantar todo "fit" para 3 amigas muito queridas (e que não são totalmente adeptas da alimentação saudável... rs).

A receita do hamburguer foi inspirada no blog Figos e Funghis. A receita da maionese de abacate veio de uma nutricionista que sigo no Instagram e no Facebook, e que dá dicas muito legais sobre alimentação saudável: Jessica Ribeiro, de Salvador. O restante foi invencionice minha mesmo!! Mas as vítimas, digo, as convidadas a provar o prato, aprovaram!! Só não quiseram fazer a série de 300 abdominais que eu propus após o jantar! kkkkk

Além do Hamburguer, servi também umas Pastinhas de Tofu como aperitivo, uma Torta Light de Abobrinhas, Ricota e Aveia e, de sobremesa, Panquecas Funcionais de Bananas com Calda de Amoras e Cranberries! Aguardem estas outras receitinhas logo, logo aqui no blog!

Hamburguer de Batata Doce e Quinoa, com Cebola Roxa Caramelizada, Maionese de Abacate e Saladinha de Folhas com Molho de Chia e Balsâmico

(6 a 8 porções)

Para o Hamburguer de Batata Doce e Quinoa

  • 2 batatas doces roxas, descascadas e cortadas em pedaços médios
  • 2/3 xícara de quinoa cozida em água e sal
  • salsinha picada a gosto
  • curry a gosto
  • 2 ovos batidos
  • sal e pimenta do reino moídos na hora a gosto
  • azeite para untar

Cozinhe bem as batatas doces. Escorra. Aqueça o forno a 220 graus. Unte uma forma grande de teflon com azeite. Amasse bem as batatas doces e junte os demais ingredientes até formar uma massa bem homogênea. Forme 8 hamburgueres e coloque na forma. Leve para assar por 20 minutos. Vire os hamburgueres e deixe assar do outro lado. Tire do forno e reserve em local aquecido.




Para a Cebola Roxa Caramelizada

  • 3 cebolas roxas cortadas em rodelas finas
  • 1 filete de azeite
  • 1 colher de chá de açúcar mascavo
  • sal a gosto

Em uma frigideira grande, frite as cebolas com azeite até ficarem bem douradas. Acrescente o sal e o açúcar e deixe caramelizar. Reserve.

Para a Maionese de Abacate

  • 1/2 abacate maduro
  • 1/2 xícara de salsinha picada
  • 1 dente de alho picado (opcional)
  • 1 colher de sopa de mostarda amarela (ou sementes de mostarda)
  • sal e pimenta a gosto
  • 1/2 xícara de azeite extra virgem

Bata todos os ingredientes no liquidificador, menos o azeite. Depois de bem batido, ligue o liquidificador na potência baixa e vá juntando o azeite aos poucos, até engrossar. Reserve.

Para a Salada de Folhas com Molho de Chia

  • folhas de alface crespa
  • folhas de alface roxa
  • folhas de couve (sem o talo)
  • 2 colheres de sopa de chia hidratada (deixar em um pouco de água por umas 2 horas)
  • 4 colheres de sopa de azeite extra virgem
  • 2 colheres de sopa de aceto balsâmico
  • 2 colheres de sopa de água
  • sal e pimenta do reino a gosto

Lave bem as folhas, pique bem e reserve. Misture a chia, o azeite, o balsâmico, a água, o sal e a pimenta, até virar uma emulsão. Reserve.

Monte o prato: coloque as folhas verdes picadas na metade do prato; na outra metade, coloque o hamburguer com uma porção de cebola roxa por cima; ao lado, um pouco da maionese de abacate. Finalize as folhas verdes com o molho de chia e balsâmico. Sirva imediatamente!

O prato pronto!!

Obrigada, amigas queridas, por compartilharem mais este momento "Desafios Light"!!

E Bon Appetit!

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

DESAFIO LIGHT: Moqueca de... Palmito Pupunha!! Veggie!!

Moqueca de Palmito Pupunha
Mais uma receita light, sem glúten, sem lactose, 100% vegana e... DELICIOSA! Parece milagre mas não é! Afinal, aqui nos Desafios, estamos mostrando que pratos saudáveis podem ser muito saborosos! Sirva como prato principal de um almoço de domingo, acompanhado de arroz branco e uma farofinha crocante! O ideal é fazer o prato naquelas panelas de barro, que vão direto à mesa e conservam o calor do prato por muito mais tempo.

Moqueca de Palmito Pupunha

(8 porções)

Para o tempero

  • 1/2 cebola picada
  • 1/2 pimentão vermelho picado
  • 1/2 pimentão verde picado
  • 1/2 pimentão amarelo picado
  • 1 colher de sopa de óleo de coco
  • coentro picado
  • 1 pimenta dedo de moça sem sementes picada
  • 3 dentes de alho picados
  • 1 pedaço de gengibre picado
  • sal
  • óleo de coco (1 colher de sopa)
Para a moqueca
  • 500 gr de palmito pupunha fresco em rodelas
  • 1/2 pimentão vermelho em rodelas
  • 1/2 pimentão verde em rodelas
  • 1/2 pimentão amarelo em rodelas
  • 1/2 cebola em rodelas
  • 2 tomates em rodelas
  • 200 ml de leite de coco
  • 300 ml de água
  • 1 colher de sopa de maisena
  • 1 colher de sopa de azeite de dendê
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • coentro picado para finalizar
Prepare o tempero, macerando todos os ingredientes em um pilão. Reserve. Aqueça uma panela grande, de fundo grosso (de preferência de barro). Aqueça o óleo de coco e junte o tempero. Deixe refogar bem.



Monte a moqueca: coloque o palmito, as rodelas de pimentão, a cebola, os tomates. Dissolva a maisena no leite de coco. Junte o leite de coco com maisena e a água. Acerte o sal e a pimenta do reino e por último o dendê. Tampe e deixe cozinhar por 20 a 30 minutos, até os legumes estarem cozidos, mas não moles demais. Finalize com o coentro picado e sirva com arroz branco.




Bon Appetit!